PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Olimpíadas acabaram, mas daqui a 3 anos tem mais; quanto custa ir a Paris?

Raphael Coraccini

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/08/2021 04h00

As Olimpíadas estão deixando saudades em muita gente, mas apenas três anos separam os jogos do Japão da edição francesa, e os ingressos para as Olimpíadas de Paris, em 2024, já devem ter seus primeiros lotes colocados à venda pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) daqui a dois anos, se for mantida a tradição de começar a distribuição exatamente um ano antes do evento.

O UOL fez um esboço do quanto deve custar uma estadia em Paris entre os dias 25 de julho (véspera da abertura) e 12 agosto (dia seguinte ao encerramento) de 2024, incluindo voos, hospedagem, transporte local, alimentação e, claro, os ingressos para as Olimpíadas, já que a expectativa é a de que, na próxima edição, as arquibancadas voltem a estar cheias.

O cálculo leva em conta preços com alimentação e transporte interno praticados em Paris em julho deste ano, além de hospedagem e voos considerando 19 datas do próximo verão francês, em 2022. O preço dos ingressos foi calculado usando algumas referências de Tóquio-2020 e Rio-2016.

O câmbio utilizado é R$ 6,16 por euro, valor de fechamento na data da apuração. Ou seja, a simulação considera preços atuais. Esses preços devem ser maiores daqui a três anos por causa da inflação e outros fatores econômicos, como câmbio. Ainda assim, já serve como base para você se planejar.

Confira os preços de cada item e também o custo total da viagem.

Passagens

A viagem de ida e volta para o trecho São Paulo-Paris pode custar algo em torno de R$ 5 mil por pessoa para datas entre julho e agosto, com voos diretos. Com as Olimpíadas acontecendo, esse valor deve se elevar conforme a data do evento for se aproximando.

Na edição de 2016, por exemplo, o trajeto São Paulo-Rio chegou a ficar até dez vezes mais caro na semana que antecedeu a abertura dos jogos. Por isso, se você quer ir para os jogos em 2024, não deixe para comprar as passagens na última hora.

Hospedagem

Uma estadia no centro de Paris, na zona conhecida como 1er arrondissement, que coloca o turista a menos de 20 minutos de carro ou de transporte público de pontos como o Museu do Louvre, Torre Eiffel e Champs-Élysées, tem preços a partir de R$ 700 por noite em hotéis como o France Albion, com opções no AirBnB.

Para entrar na véspera da abertura dos jogos, no dia 25 de julho, e sair no dia seguinte ao encerramento, no dia 12 de agosto, o valor total da hospedagem fica em quase R$ 13 mil.

O gasto com hospedagem pode ser consideravelmente reduzido se o visitante topar se hospedar a alguns quilômetros do centro da cidade, sem abrir mão de conforto. O bairro de Ivry-sur-Seine tem boas opções de apart-hotéis a partir de R$ 300 por pessoa ou casal disponíveis no AirBnB. Nesta opção, a hospedagem inteira sai ao custo de R$ 5.500 e o acesso ao centro de Paris de carro ou trem demora em torno de 45 minutos.

Ingressos

Durante as Olimpíadas de Tóquio, o Comitê Olímpico Internacional permitiu a aquisição de no máximo 30 bilhetes por pessoa quando as primeiras vendas foram anunciadas, em agosto de 2019, um ano antes da data que estava marcada para abertura dos jogos. À época, os ingressos mais baratos custavam R$ 85.

Transportando essas cotas e valores para as próximas Olimpíadas, o turista que quiser rodar por diferentes modalidades e ainda guardar uma parte do seu dinheiro e da cota de tíquetes para as decisões mais importantes pode fazer da seguinte maneira: reservar 18 ingressos para diferentes competições que não estão entre as mais procuradas, ao preço mínimo, e gastar R$ 1.700.

Além disso, reservar dois ingressos da cota para assistir às cerimônias de abertura e encerramento, cujo preço mínimo é de R$ 410 cada evento. Com isso, o espectador gastará algo em torno de R$ 2.500 e 20 ingressos da cota.

Com os 10 ingressos restantes, é possível usar apenas um deles para assistir às 13 sessões das preliminares, semifinais e finais do atletismo, com valor mínimo de R$ 639, e ver o desempenho de brasileiros como o medalhista nos 400 metros com barreira, Alison dos Santos.

Outro ingresso pode ser usado para assistir às finais da ginástica artística com Rebeca Andrade ao valor de R$ 390. A Natação tem valor de ingresso semelhante ao da ginástica. Entre as lutas, um ingresso a R$ 638,67 garante assistir às 8 sessões do judô em todas as categorias e equipes do masculino e do feminino.

As finais da maratona aquática, no feminino e no masculino, podem ser assistidas com a aquisição de um único ingresso, que custa R$ 351,27. O UOL não teve acesso aos valores para assistir às competições de skate e surfe.

Com os cinco ingressos restantes é possível ver as finais dos esportes coletivos mais populares, como futebol, basquete e vôlei. No futebol, um ingresso garante assistir às disputas do bronze tanto do masculino quanto do feminino e a final do feminino, e custa R$ 370. A final masculina é vendida à parte, pelo valor de R$ 570.

No vôlei, as disputas pelo bronze no masculino e no feminino também podem ser contempladas com um mesmo ingresso, ao custo de R$ 510. As finais feminina e masculina do vôlei custariam algo próximo de R$ 390 cada ingresso. Mesmo valor da final do basquete masculino.

Os valores podem variar bastante conforme a modalidade e a etapa da competição. Veja o resumo abaixo*:

Cota de ingressos máxima permitida em Tóquio: 30 ingressos
- 20 ingressos para esportes variados mais abertura e encerramento: R$ 2.500
- 10 ingressos para esportes coletivos e/ou que renderam medalhas ao Brasil: R$ 4.800
Total em 30 ingressos: R$ 7.300

* Os preços são para assistir as modalidades mais populares ou com mais medalhistas brasileiros e estão baseados nos valores de Tóquio-2020 (antes da pandemia) e Rio-2016 (corrigidos para 2021).

Transporte

Os eventos esportivos acontecerão espalhados por Paris e a maneira mais barata e quase sempre mais rápida de se chegar a esses pontos é utilizando o transporte público. Uma passagem pode ser adquirida por 1,90 euro (R$ 11,70), mas antes é preciso comprar o cartão conhecido como Navigo, parecido com o Bilhete Único de São Paulo, que custa 2 euros (R$ 12,32) e vem sem crédito.

O mais indicado, porém, é pegar o plano semanal do cartão de viagem urbana, conhecido como Navigo Découverte, que custa 22,80 euros por semana (R$ 140,45) e permite viajar de metrô, ônibus, bonde e trem em toda Ile-de-France, região que abrange Paris e adjacências.

Nas três semanas, portanto, o gasto com deslocamento para arenas, ginásios e demais localidades deve ficar em algo em torno de R$ 421 por pessoa, excluindo eventuais deslocamentos por aplicativos de transporte ou locação de veículo.

Os cartões e os créditos podem ser adquiridos no aeroporto Charles de Gaulle ou nas estações de metrô.

Alimentação

O comparador de preços Preciosmundi aponta que, em julho de 2021, o custo por refeição individual em um restaurante de Paris com preços mais amistosos ficou em torno de 14 euros (R$ 86,24) por pessoa. Opções um pouco mais requintadas podem custar em torno 25 euros (R$ 154) por cabeça.

Se o visitante escolher fazer refeições mais simples ao longo da semana e deixar para comer algo especial no almoço e no jantar aos sábados e domingos, o valor ao longo das três semanas apenas com refeição pode chegar a algo próximo de R$ 4.400.

Total da viagem

Levando em conta voos, hospedagem, ingressos, transporte e alimentação com uma boa relação custo-benefício, o custo total de 19 dias em Paris durante os jogos pode ser de R$ 22 mil, considerando valores dos serviços e câmbio de agosto de 2021, e considerando os valores mínimos dos ingressos. Veja o resumo abaixo:

Gasto por pessoa

Voos São Paulo-Paris (ida e volta): R$ 5.000
Hospedagem a 45 minutos do centro por 19 dias: R$ 5.500
Ingressos para cerimônias e jogos, esgotando a cota máxima de 30 tíquetes: R$ 7.300
Transporte interno, apenas com uso dos modais coletivos: R$ 400
Alimentação: R$ 4.400
Total: R$ 22.000

PUBLICIDADE