PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

'Educado e carismático', diz suposta vítima de falso analista da Receita

O "Don Juan" dizia que era servidor público e demostrava ter vida de luxo nas redes sociais, segundo a polícia - Reprodução/ Polícia Civil de GO
O "Don Juan" dizia que era servidor público e demostrava ter vida de luxo nas redes sociais, segundo a polícia Imagem: Reprodução/ Polícia Civil de GO

Do UOL, em São Paulo

18/08/2021 14h47Atualizada em 18/08/2021 18h21

Uma das supostas vítimas de David Alves Bezerra, de 30 anos, mais conhecido como "Don Juan", preso por suspeita de mais de 70 estelionatos em diferentes regiões do Brasil, afirmou que o investigado se apresentava como um homem "carismático" e "educado".

"Eu conheci o Berlim [David] através de uns amigos, os quais ele já havia conquistado também. E ele se mostrava uma pessoa muito educada, carismática, muito prestativa", afirmou a moradora da região de Goiás, que não quis se identificar à TV Anhanguera.

Segundo ela, Bezerra afirmava que conseguia fazer compras de produtos da Receita Federal, mas que precisava de uma quantia de dinheiro para obter os produtos.

"Ele dizia que, como ele trabalhava lá, ele conseguia fazer compras de malotes de produtos da Receita Federal, e esses malotes viriam com várias coisas como celular, computador... E com isso, para fazer essas compras, ele pedia um determinado valor. [A gente] compraria junto com ele e seria tudo legal, tudo sairia com notas fiscais direitinho. [Ele dizia] que não teria problema para ninguém", afirmou.

David Alves Bezerra foi preso em Caucaia (CE). O mandado de prisão foi cumprido ontem pelo Gepatri (Grupo de Repressão a Crimes Patrimoniais) da Polícia Civil de Valparaíso de Goiás (GO), com o investigado já preso em Caucaia, no Ceará, com apoio do Sistema Penitenciário do Ceará.

Natural de Fortaleza, ele teria feito pelo menos oito vítimas no entorno do Distrito Federal e atuava em vários estados. "Para enganar as vítimas, ele se passava de servidor público, dizia ter acesso a bens apreendidos pela Receita Federal e fazendas estaduais e se utilizava desse ardil para oferecer aparelhos eletrônicos e bens importados de elevado valor econômico às vítimas", informa a Polícia Civil de Goiás.

David tinha uma vida nômade, se estabelecia em cidades e se relacionava com mulheres as persuadindo a captar vítimas, de acordo com a polícia. Por esse motivo, ele é conhecido como "Don Juan". A polícia estima que ele tenha feito mais de 90 vítimas.

PUBLICIDADE