PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Oposição se manifesta contra reforma administrativa: 'desmonte do Estado'

Deputados da minoria e oposição em entrevista coletiva para anunciar posição contra a reforma administrativa - Reprodução
Deputados da minoria e oposição em entrevista coletiva para anunciar posição contra a reforma administrativa Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo*

21/09/2021 17h24Atualizada em 21/09/2021 18h30

Partidos de oposição e centrais sindicais se posicionaram hoje contra a reforma administrativa, que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) disse pretender votar ainda esta semana. Segundo nota assinada pelo PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB, Rede, Solidariedade e PV, a proposta representa um "desmonte do Estado brasileiro".

Eles dizem ainda que o texto, como está, "promove precarização do serviço público prestado à sociedade e das relações de trabalho na administração pública", e que fecharam questão para votar contra a matéria caso ela vá para o Plenário.

"Não há clima ou razão para votar essa reforma administrativa, que não atinge nenhum privilégio, torna o Estado mais caro, ineficiente e persegue o servidor público", afirmou o deputado líder da minoria, Marcelo Freixo (PSB-RJ) em entrevista coletiva.

Mais cedo, a comissão da reforma cancelou a sessão agendada para hoje e marcou um novo encontro para tentar avançar com o tema na tarde de amanhã. O relator da PEC, o deputado Arthur Maia (DEM-BA) ainda não apresentou um novo texto, desde que sua última versão protocolada na semana passada gerou críticas e confusão.

Na última versão, que depois foi cancelada, Maia propunha a inclusão de novos benefícios, principalmente a policiais, e revogou uma série de conquistas da Reforma da Previdência para agentes da segurança pública. Para o Centro de Liderança Pública (CLP), o texto era uma "antirreforma".

*Com Estadão Conteúdo

PUBLICIDADE