PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Motorista em BH enfrenta filas em postos, alta no preço e falta de gasolina

22.out.2021 - Fila para abastecer em posto de Belo Horizonte chega a dar a volta no quarteirão - Daniela Malmann/UOL
22.out.2021 - Fila para abastecer em posto de Belo Horizonte chega a dar a volta no quarteirão Imagem: Daniela Malmann/UOL

Daniela Mallmann

Colaboração para UOL, em Belo Horizonte

22/10/2021 19h43

Dezenas de postos de combustíveis da capital mineira ficaram desabastecidos desde a manhã desta sexta-feira (22), por causa de uma paralisação de caminhoneiros tanqueiros, que teve início na madrugada de ontem (21) e foi encerrada na tarde de hoje. O movimento não afetou o trânsito nas estradas mineiras, mas teve reflexos na capital mineira e causou transtornos para os motoristas abastecerem.

Centenas deles iniciaram uma corrida para os postos de combustíveis ainda na noite de quinta. Desde a manhã de hoje (22), dezenas de estabelecimentos já informavam a falta de gasolina e etanol.

É lamentável sair da minha casa com o tanque quase zerado. Eu não sabia desta situação, e agora vou ter que voltar para casa e ver se o outro carro tem o mínimo de gasolina. Lamentável.
Luiz Brant, psicanalista

Posto em Belo Horizonte chegou a cobrar R$ 6,99 pelo litro da gasolina - Daniela Malmann/UOL - Daniela Malmann/UOL
Posto em Belo Horizonte chegou a cobrar R$ 6,999 pelo litro da gasolina
Imagem: Daniela Malmann/UOL

Na região leste da capital mineira, os postos que ainda estavam com combustível nas bombas registraram filas de mais de um quarteirão. Os preços da gasolina comum em alguns chegaram a R$ 6,99.

Segundo pesquisa da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio da gasolina em Belo Horizonte nesta semana foi de R$ 6,49.

Estou 'no cheiro' [do combustível], por isso que tive que enfrentar a fila. Sem contar que é uma gasolina cara, é um absurdo nesse Brasil a gente pagar gasolina nesse preço. É bem difícil, desanimador.
Gessé Castro, engenheiro

Caminhoneiros tanqueiros pararam para protestar contra o ICMS dos combustíveis em Minas e os preços dos combustíveis praticados pela Petrobras.

Segundo o sindicato da categoria, o Sinditanque-MG, uma das soluções apontadas para se abrir a negociação para o fim da paralisação foi o congelamento da base de cálculo para incidência do ICMS, pleito do Minaspetro, o sindicato patronal dos revendedores de combustível, desde o início da pandemia.

22.out.2021 - Em Belo Horizonte, postos chegaram a ficar sem combustível por causa da paralisação dos tanqueiros - Daniela Malmann/UOL  - Daniela Malmann/UOL
Postos colocam cone para sinalizar que estão sem combustível
Imagem: Daniela Malmann/UOL

No início da tarde de hoje (22) o presidente do Sinditanque-MG, Irani Gomes, informou que a paralisação dos tanqueiros no estado terminou. Cerca de 800 caminhões estavam parados na região metropolitana de Belo Horizonte. Um grupo havia se concentrado em frente à Refinaria Gabriel Passos, em Betim, na Grande BH.

"Eles resolveram suspender a paralisação até o momento, mas aguardam uma posição do governo do Estado referente às alíquotas dos combustíveis", informou Gomes.

Apesar do fim da paralisação, o sindicato ainda não informou se o pleito dos tanqueiros foi atendido. Representantes estavam em reunião na tarde desta sexta-feira para finalizar as negociações.

Segundo o Minaspetro, a previsão de normalização dos postos que estão desabastecidos em Minas é de 24h. Os caminhões tanque já estão abastecendo na Refinaria Gabriel Passos, em Betim.

PUBLICIDADE