PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Após suspensão, presidente da Itapemirim diz que o grupo 'voltará a voar'

Sidnei Piva de Jesus, CEO da Itapemirim - Divulgação/Itapemirim
Sidnei Piva de Jesus, CEO da Itapemirim Imagem: Divulgação/Itapemirim

Do UOL, em São Paulo

22/12/2021 08h15Atualizada em 23/12/2021 09h07

O presidente da Itapemirim, Sidnei Piva, afirmou que a suspensão das atividades da empresa não significa que ela deixará de voar. Na sexta-feira (17), a Itapemirim Transportes Aéreos, também chamada de Ita, decidiu suspender temporariamente as operações e deixou milhares de passageiros sem atendimento e sem saber o que fazer nos aeroportos.

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, Piva declarou que as atividades da empresa devem "voltar em breve".

"Suspenso não é cancelado. Quando voltarmos, teremos de preencher todos os questionários da Anac, mas a Itapemirim deverá estar apta para voltar em breve", disse.

O Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo) informou que pediu ao diretor-presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Juliano Alcântara Noman, esclarecimentos sobre a suspensão temporária das operações da Itapemirim. O Procon Estadual do Rio de Janeiro também instaurou processo de investigação contra a empresa Itapemirim por possíveis violações ao direito do consumidor.

Segundo o presidente da companhia, as atividades foram suspensas na sexta-feira em razão de um problema "operacional". Piva disse que os trabalhos nos aeroportos eram feitos por funcionários de empresas terceirizadas contratadas pela Itapemirim, uma delas a Orbital, que decidiu parar as suas operações no dia 17.

De acordo com Piva, a expectativa era que as operadoras terceirizadas parassem os serviços em 10 de janeiro para que a Itapemirim, então, ficasse responsável por todas as operações nos aeroportos.

"Tínhamos documentos assinados de que esse operador [Orbital] pararia em 10 de janeiro e, repentinamente, ele resolveu tirar todas as suas operações na sexta-feira às 16h. Ela retirou todos os seus funcionários com um comunicado por telefone. Nós não tínhamos condição de mandar contingente para os aeroportos imediatamente. Decidimos, por força maior, parar a operação."

Em resposta ao jornal, o presidente da Orbital, Rubens Filho, disse que as falas de Piva são "inverdades" e que a terceirizada segue prestando assistência aos passageiros afetados mesmo sem saber se será remunerada por esses serviços. O UOL também tenta contato com o grupo.

A Anac informou ontem que, de sexta-feira (17) a domingo (19), cerca de 430 passageiros da Ita foram realocados em voos de outras companhias aéreas. O número corresponde a menos de 1% dos passageiros impactados pela empresa.

O setor aéreo é regulado pela Anac. Cabe à agência fiscalizar o funcionamento deste segmento, suas empresas e garantir a sua operação plena. Especialistas, no entanto, acreditam que a agência não falhou no caso.

Dívidas

O grupo Itapemirim enfrenta um longo processo de recuperação judicial. Segundo relatório da administradora judicial responsável pelo processo, a EXM Partners, ao qual o UOL teve acesso, a empresa devia cerca de R$ 253 milhões aos seus credores em setembro, além de R$ 2,2 bilhões em dívidas tributárias.

Apesar do relatório da administradora, Piva declarou que a Itapemirim é "a que menos deve" entre as companhias aéreas e disse que as negociações não interferem no desenvolvimento das atividades cotidianas.

"Das companhias aéreas, a Itapemirim é a que menos deve. Ela está bem situada e é uma empresa que não tem endividamento futuro. Tem endividamento do dia a dia. É lógico que temos o endividamento natural do dia a dia com todos os fornecedores."

Piva explicou que a Itapemirim está fazendo um processo de reestruturação e realiza reuniões esta semana com diversos grupos para "escolher o melhor investimento" para a empresa.

"Não posso revelar valores, mas foi o suficiente para montar a companhia aérea, que todos sabem que é um custo altíssimo. Da Itapemirim, foi muito pouco, em torno de R$ 40 milhões. Esse dinheiro já tem programa de devolução. Isso não está afetando a recuperação judicial. Essa parte do investimento da recuperada foi programada, auditada, autorizada e já está sendo devolvida. Tem menos da metade hoje para devolver."

Passageiros não devem ir ao aeroporto

A Anac recomenda que passageiros com voos programados com a Ita não compareçam aos aeroportos antes de entrar em contato com a empresa aérea.

Os passageiros da Itapemirim Transportes Aéreas devem entrar em contato no e-mail falecomaita@voeita.com.br; telefone 0800 723 2121 (das 6h às 21h); ou no chat disponível no site da empresa: www.voeita.com.br.

*Com informações da Agência Brasil e do Estadão Conteúdo

PUBLICIDADE