PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Agronegócio

209 toneladas de agrotóxicos são apreendidas nas fronteiras em 2021

Viviane Taguchi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/12/2021 04h00

Fiscais apreenderam 209 toneladas de agrotóxicos, 573 toneladas de sementes e mais de 1.700 animais sendo transportados irregularmente para dentro das fronteiras brasileiras durante todo o ano de 2021. Produtos agropecuários e carga viva não inspecionados colocam em risco os rebanhos, as lavouras, o meio ambiente e a saúde humana, dizem as autoridades.

As operações de fiscalização foram no Programa de Vigilância em Defesa Agropecuária para Fronteiras Internacionais (Vigifronteira), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). No total, foram apreendidas 1.200 toneladas de produtos agropecuários irregulares e clandestinos. Animais em situação irregular, alimentos, bebidas, insumos e produtos veterinários foram retirados do mercado.

Veja os detalhes dos produtos apreendidos

Total de apreensões: 1.200 toneladas
Agrotóxicos: 209,25 toneladas
Fertilizantes: 174,89 toneladas
Sementes: 573,4 toneladas
Produtos veterinários: 6.604 unidades
Produtos de alimentação animal: 149,51 toneladas
Produtos de origem animal: 112,92 toneladas
Produtos de origem vegetal: 42,93 toneladas
Bebidas: 15.730 litros

Apesar de todo esse volume, apenas dez pessoas tiveram prisão decretada, informou o ministério.

Foram realizadas 13 operações policiais, sete em fronteira terrestre, duas em fronteira marítima, duas em divisas e duas em comércio, em 16 estados, diz o Mapa.

Em nota, o ministério informou que foram fiscalizados, no ano, 336 propriedades rurais, 2.700 veículos, 16 embarcações e 28 estabelecimentos (dez foram interditados) e, durante as operações, foram flagrados 1.732 animais em situação irregular.

Riscos de entradas irregulares

O gerente do programa Vigifronteira, Marcos Eielson de Sá, diz que a entrada de produtos irregulares causa riscos.

"Os produtos e insumos agropecuários ilegais, além de colocarem em risco os rebanhos, as lavouras e o meio ambiente, também podem ser causas de agravos para a saúde da população", afirmou.

PUBLICIDADE

Agronegócio