PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Cotações

Dólar opera em queda de 1,06%, vendido a R$ 4,888; Bolsa sobe

Do UOL*, em São Paulo

29/04/2022 09h16Atualizada em 29/04/2022 10h19

O dólar comercial operava em queda 1,06% por volta das 10h15 (horário de Brasília) de hoje, negociado a R$ 4,888.

Ontem (28) o dólar comercial teve queda de 0,55% e encerrou o dia cotado a R$ 4,940 na venda.

Por volta do mesmo horário, o Ibovespa subia 1,44%, aos 111.506,29 pontos. O principal índice da Bolsa de Valores brasileira fechou a 109.918,969 pontos na véspera, uma valorização de 0,52%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Mercados instáveis

Uma dose de instabilidade se mantém no mercado, reflexo da incerteza sobre os rumos da taxa de câmbio para daqui até outubro, mas também do cenário nebuloso no Brasil até as eleições presidenciais.

O dólar chegou a ser cotado em torno de R$ 4,60 há cerca de uma semana, e, embora tenham se surpreendido com a velocidade da alta para acima de R$ 5, analistas lembraram que era previsto que a moeda voltasse para em torno desse nível, em parte pela perspectiva de que o debate eleitoral se torne mais acirrado conforme se caminha para outubro.

"Há riscos que temos pela frente que não estão precificados", disse o economista-chefe do BV, Roberto Padovani, citando o debate sobre a política econômica brasileira que deverá ganhar tração à medida que as eleições presidenciais se aproximam. "Em abril veio o primeiro sinal de que temos esses riscos: cenário global mais complicado e debate da política econômica aqui."

Com isso no radar, o economista projeta que o dólar fechará o ano em R$ 5,50 —bem acima da taxa de R$ 5 apontada na mais recente pesquisa Focus do Banco Central e o equivalente a uma alta nominal de 11,33% frente ao fechamento de ontem.

"Para a gente, essa combinação de riscos mais do que compensa a taxa de juros mais elevada", finalizou.

*Com Reuters

Este conteúdo foi gerado pelo sistema de produção automatizada de notícias do UOL e revisado pela redação antes de ser publicado.

Cotações