PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Americano quer US$ 258 bi de Musk, Tesla e SpaceX por suposta 'pirâmide'

Elon Musk, fundador da SpaceX, durante evento no Cabo Canaveral, na Flórida (EUA), em 19 de janeiro de 2020 - Joe Skipper/Reuters
Elon Musk, fundador da SpaceX, durante evento no Cabo Canaveral, na Flórida (EUA), em 19 de janeiro de 2020 Imagem: Joe Skipper/Reuters

Do UOL, em São Paulo

16/06/2022 17h38

O bilionário Elon Musk e duas de suas empresas, a Tesla Inc. e a SpaceX, estão sendo processados por um suposto esquema de pirâmide para inflacionar o preço da criptomoeda Dogecoin. As informações são do site Bloomberg.

O autor da denúncia, o americano Keith Johnson, afirma representar um grupo que perdeu dinheiro investindo na criptomoeda desde 2019, e pede US$ 258 bilhões, mais de R$ 1 trilhão, como reparação. Desse total, US$ 86 bilhões cobririam danos e outros US$ 172 bilhões, danos triplos.

Além disso, Johnson busca proibir Musk e as empresas dele de promoverem a Dogecoin sob a alegação de que a criptomoeda é um jogo de azar, o que é proibido no estado de Nova York, onde corre o processo. Ele alega que "os réus falsa e enganosamente dizem que o Dogecoin é um investimento legítimo, mas que não tem valor algum".

Um esquema de pirâmide, chamado também de pirâmide financeira, é um modelo comercial em que poucas pessoas no topo lucram. Os integrantes da base precisam recrutar outras para conseguir ganhar dinheiro dentro de uma empresa. Nos Estados Unidos, a prática é ilegal. No Brasil, o esquema é proibido, mas ainda não há legislação específica para tratar disso.

Segundo dados da Bloomberg, o Dogecoin caiu 67% este ano. Hoje, a criptomoeda está valendo R$ 0,28 e tinha queda de 10,65% às 17h20 (horário de Brasília).