PUBLICIDADE
IPCA
0,67 Jun.2022
Topo

Publicidade digital no país cresce 27% em 2021 e vai a R$ 30 bi, diz estudo

Getty Images
Imagem: Getty Images

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/07/2022 08h01

Esta é a versão online para a edição desta sexta-feira (15/7) da newsletter Mídia e Marketing. Para se inscrever nesse e outros boletins e recebê-los no seu email, cadastre-se aqui. Quem assina o UOL ainda recebe 10 newsletters exclusivas.

********

O investimento em publicidade digital alcançou R$ 30,2 bilhões no Brasil em 2021, segundo o estudo Digital AdSpend, do IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau), produzido em parceria com a Kantar Ibope Media.

Os números do relatório apontam um crescimento de 27% em relação a 2020, quando foram investidos R$ 23,7 bilhões no meio online. O número de anunciantes exibindo seus produtos e serviços nos canais digitais cresceu 30%: foram mais de 95 mil empresas colocando suas marcas na internet em 2021.

"O digital como protagonista nas estratégias das marcas consolida um movimento de vários anos de evolução do meio, além da melhora na sofisticação da entrega aos anunciantes", diz Leonardo Takai, diretor de mídia da agência Suno United Creators.

Meio digital cada vez mais democrático

"As ações digitais não geram apenas vendas em sites ou aplicativos. Elas contribuem de forma efetiva para o conhecimento e a consideração de produtos que são comprados em lojas físicas", declara Vitor Miguel, diretor de performance da agência WMcCann.

Para Carolina Buzetto, CEO do WPP Media Services, o crescimento do investimento nos meios online é um caminho sem volta.

"Hoje é difícil não considerar o investimento em digital, seja em planos de conhecimento de marca ou de performance. Isso ainda vai continuar crescendo, enquanto o número de pessoas com acesso ao online não for próximo da população, como é o caso da TV aberta. Atualmente, 94% da população brasileira tem acesso à internet, mas ainda existe uma concentração de classes sociais nos acessos. O meio digital caminha para ser cada vez mais democrático", afirma Buzetto.

Foco no celular

O estudo também informa que mais da metade do total do investimento publicitário no digital em 2021 se destinou às plataformas de mídias sociais (54%) e que 76% da compra de publicidade ficou concentrada nos dispositivos móveis, como celulares e tablets.

Segundo dados de um levantamento anual da FGV, o Brasil tem 242 milhões de smartphones em uso. O relatório do IAB ainda aponta que nove entre dez brasileiros possuem conectividade na palma da mão. Isso amplia o acesso à informação - sejam elas de notícias ou publicitárias.

"No Brasil, 77% das classes D e E têm o celular como único dispositivo de acesso à internet. Para essas pessoas, o mobile é a porta de entrada para o mundo digital", diz Buzetto.

"O mobile é fundamental para a estratégia dos anunciantes, seja como ponto de impacto da campanha pelo potencial de audiência ou como canal proprietário", afirma Takai.

É comum, em algum momento da correria do dia a dia, esquecermos a bolsa ou a carteira, mas o celular ninguém esquece. As estratégias voltadas para o mobile garantem resultados de negócios para os anunciantes. Agora, é hora de pensarmos em formas de tornar a jornada cada vez mais fluida, independente do ponto de contato do consumidor", diz Miguel.