IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Mulher mais rica do mundo já escreveu sobre mitologia grega e é antiglamour

Françoise Bettencourt Meyers, herdeira da L"Oréal, mulher mais rica do mundo - Reprodução/Instagram @bettencourtmeyers
Françoise Bettencourt Meyers, herdeira da L'Oréal, mulher mais rica do mundo Imagem: Reprodução/Instagram @bettencourtmeyers

Do UOL, em São Paulo

05/04/2023 04h00

Françoise Bettencourt Meyers, 69, bilionária francesa herdeira da L'Oréal, manteve o posto de mulher mais rica do mundo em 2023, segundo a revista Forbes. O patrimônio líquido dela é de US$ 80,5 bilhões (R$ 408 bilhões).

No ranking geral, ela ocupa o 11º lugar entre os mais ricos.

Esta é a terceira vez em que ela aparece no topo da lista. A primeira foi em 2018, depois da morte de sua mãe, Liliane Bettencourt (1922-2017), até então a mais rica do mundo.

No ano passado, Françoise era a 14ª do ranking, com US$ 74,8 bilhões.

A pessoa mais rica do mundo é Bernard Arnault, dono da Louis Vuitton. Sua fortuna está avaliada em US$ 211 bilhões (R$ 1,07 trilhão). Entre os brasileiros, Vicky Safra, viúva de Joseph Safra, está em primeiro lugar com US$ 16,7 bilhões (R$ 84,7 bilhões).

Quem é Françoise Bettencourt?

  • Neta do fundador da L'Oréal;
  • Faz parte do conselho da empresa desde 1997;
  • Casada com Jean-Pierre Meyers;
  • Mãe de Jean-Victor Meyers e Nicolas Meyers;
  • Presidente da holding Téthys desde 2012;
  • Presidente da fundação filantrópica Bettencourt-Schueller.

Françoise Bettencourt tornou-se diretora da L'Oréal em 1997 e foi nomeada presidente da holding da família, Téthys, em 2012. Naquele mesmo ano, tornou-se membro do comitê de estratégia e desenvolvimento sustentável da marca.

Além das ações da L'Oréal, Françoise também tem participação na Nestlé e outros bens. A maior parte da fortuna vem da empresa da família. Ela possui cerca de 33% do capital social, participação herdada da mãe.

Françoise é fundadora e presidente da instituição de caridade The Bettencourt-Schueller Foundation, criada em 1987, e presidente honorária da Fondation Pour L'audition, que apoia pesquisa e inovação para deficientes auditivos.

O que faz a L'Oréal?

  • Maior fabricante de produtos de beleza do mundo;
  • Atua em 130 países;
  • Tem mais de 35 marcas de cosméticos e cuidados com a pele no mercado;
  • Portfólio inclui tanto marcas populares quanto luxuosas;
  • Maybelline, Garnier, Colorama e Lancôme são alguns dos selos da família.

Em 2019, a família Bettencourt Meyers e a L'Oréal doaram US$ 226 milhões para a Catedral de Notre-Dame, atingida por um incêndio naquele mesmo ano.

Herdeira da família

  • Liliane, mãe de Françoise, começou nos negócios da família como aprendiz aos 15 anos e herdou a participação do pai, Eugène Schueller, fundador da fabricante de cosméticos, em 1957. Ela morreu em 2017.
  • O pai de Françoise, Andre Bettencourt, foi um herói de guerra francês condecorado que resistiu aos nazistas, serviu como ministro do governo por 20 anos e foi vice-presidente da L'Oréal até 1994. Ele morreu em 2007.
  • Françoise nunca se interessou pela vida de alta sociedade de seus pais. Em vez do glamour, a herdeira escreveu livros sobre mitologia grega e relações judaico-cristãs. Seu livro mais recente foi publicado em 2008 com o título "Regard sur la Bible" (Um Olhar sobre a Bíblia).
  • Françoise herdou ainda dezenas de bilhões de dólares e bens valiosos, como uma mansão em Neuilly-sur-Seine, rica região a oeste de Paris, e a casa de férias no promontório de Arcouest, oeste da França.

Polêmicas com a mãe

Françoise sempre teve uma relação tensa com sua mãe. Desde a adolescência, eram constantes os conflitos entre a empresária e a filha —mais interessada em livros e pianos do que na vida social de glamour.

Liliane - REUTERS/Charles Platiau - REUTERS/Charles Platiau
Liliane e Françoise em 2011; relação entre mãe e filha foi turbulenta
Imagem: REUTERS/Charles Platiau

O clima entre elas piorou quando estourou o escândalo político-financeiro-familiar que ficou conhecido como caso Bettencourt e trouxe à tona denúncias sombrias sobre a família —incluindo especulações de que seu pai, Andre, e seu avô, Eugène, teriam sido simpatizantes do nazismo.

Desde 2007, Françoise travava uma briga familiar. Ela processou o fotógrafo de celebridades François-Marie Banier por abuso de incapaz, alegando que ele havia enganado sua mãe e levado quase US$ 1 bilhão ao longo de duas décadas. Mãe e filha tiveram uma disputa de quase dois anos nos tribunais por causa disso.

Liliane, na época, se declarou vítima da filha. "É um rompante indigno da parte de quem diz querer me proteger", afirmou em comunicado. "Minha filha poderia esperar pacientemente por minha morte, em vez de fazer todo o possível para precipitá-la."

Até o ex-presidente Nicolas Sarkozy foi acusado de ter se aproveitado da senilidade da herdeira da L'Oréal, na época, com o objetivo de obter fundos para financiar sua campanha presidencial de 2007.

Além de François-Marie Banier, um amigo próximo de Bettencourt, o empresário Stéphane Courbit e o ex-administrador da fortuna da herdeira da L'Oréal, Patrice de Maistre, foram investigados.

As duas teriam feito as pazes no final de 2010, um pouco antes de a herdeira anunciar que Liliane tinha Alzheimer avançado e que havia sido colocada sob tutela do neto mais velho, Jean-Victor Meyers.