IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Janja celebra acordo de Haddad e Shein: 'Brasil que queremos tem brusinhas'

Janja na cerimônia de posse dos novos ministros de Lula - Fátima Meira/Futura Press/Folhapress
Janja na cerimônia de posse dos novos ministros de Lula Imagem: Fátima Meira/Futura Press/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

20/04/2023 19h38Atualizada em 20/04/2023 21h04

A primeira-dama, Janja da Silva, publicou nas redes sociais uma comemoração do acordo fixado hoje entre o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e a empresa Shein. Janja havia pressionado para mudar a regra de taxação em compras.

O que aconteceu:

"O Brasil que queremos tem brusinhas e empregos de mãos dadas!", escreveu a socióloga depois de "parabenizar" o ministro.

Na semana passada, Janja apoiava nas redes sociais uma mudança na taxação de compras de varejistas como Shein, Shoppe e AliExpress e expressou que, caso houvesse a alteração debatida no governo, as afetadas seriam as "empresas e não os consumidores". Em outro momento, a primeira-dama tornou a dizer que "se trata de combater sonegação das empresas e não taxar as pessoas de compram".

O acordo de hoje, no entanto, não trata mais da taxação. Após repercussão negativa, o governo federal recuou na terça-feira (18) e decidiu manter a isenção para compras internacionais de até US$ 50 entre pessoas físicas.

A Shein anunciou que vai nacionalizar 85% da sua venda de produtos, prevê criar 100 mil novos empregos em três anos no Brasil e planeja parcerias com 2 mil fabricantes locais.

Segundo a empresa, serão investidos inicialmente uma quantia de R$ 750 milhões em tecnologia e treinamentos para produção têxtil. O anúncio foi feito após uma reunião da varejista com Haddad.