IPCA
0,26 Set.2023
Topo

Desconto do INSS no salário muda com mínimo de R$ 1.320; quanto vou pagar?

Contribuição do INSS é descontada diretamente do salário do trabalhador - iStock
Contribuição do INSS é descontada diretamente do salário do trabalhador Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

08/05/2023 04h00

O valor que é descontado do salário dos trabalhadores ao INSS muda neste mês com o aumento do salário mínimo para R$ 1.320.

Nova tabela de contribuição ao INSS

  • Até um salário mínimo (R$ 1.320): 7,5%
  • De R$ 1.320,01 até R$ 2.571,29: 9%
  • De R$ 2.571,30 até R$ 3.856,94: 12%
  • De R$ 3.856,95 até R$ 7.507,49: 14%

A mudança no valor a ser pago vale para trabalhadores com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos. A nova contribuição vale para a folha de pagamento de maio em diante.

As contribuições são obrigatórias e descontadas diretamente do salário do trabalhador.

O novo salário mínimo (R$ 1.320) começou a valer em 1º de maio de 2023. Antes, era de R$ 1.302 — um aumento de R$ 18.

Impacto nos salários

A diferença no desconto de INSS será bem pequena. Quem recebe um salário mínimo vai pagar R$ 1,35 a mais de imposto do que pagava antes. Quem recebe valores acima do mínimo irá pagar R$ 0,27 a menos de contribuição.

Uma pessoa que ganha R$ 5.000, por exemplo, tinha um desconto de R$ 526,19 até abril; agora, vai ter um desconto de R$ 525,92. A diferença é de R$ 0,27.

Quando o trabalhador tem seu salário reajustado, o valor do desconto sempre aumenta. É o que irá acontecer para quem ganha um salário mínimo. Aqueles que não tiverem reajuste salarial em maio poderão ter um desconto menor no salário uma vez que o cálculo da contribuição ao INSS foi atualizado, segundo Emerson Lemes, diretor do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário). Por isso o valor do desconto diminui para quem ganham acima de um salário mínimo.

Quem ganha um salário mínimo tem desconto de 7,5% de INSS, que a partir de maio será R$ 99.

O cálculo da contribuição é feito por faixas de renda. Quem ganha R$ 1.500, tem um desconto maior do que quem recebe um salário mínimo, veja o exemplo:

  • 7,5% sobre R$ 1.320: R$ 99.
  • 9% sobre o restante do valor (R$ 180): R$ 16,20.
  • O desconto total será de R$ 115,20.

Quanto menor a remuneração, maior o impacto na contribuição. Como a diferença não foi grande no salário mínimo, só de R$ 18, vai ter um impacto minúsculo no fim das contas [na contribuição previdenciária]. É coisa de centavos, são sempre R$ 0,27. Como só muda a primeira faixa [diferença no desconto é de R$ 1,35], todas as outras não sofrem alteração.
Emerson Lemes, diretor do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário)