IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Prates: Petrobras adotará preço menor sem se 'desgarrar' de mercado externo

Jean Paul Prates, presidente da Petrobras - Tomaz Silva/Agência Brasil
Jean Paul Prates, presidente da Petrobras Imagem: Tomaz Silva/Agência Brasil

12/05/2023 08h34

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, afirmou que a estatal vai adotar preços menores para os combustíveis, mas sem se "desgarrar" das cotações do mercado internacional. A declaração foi dada por Prates em entrevista ao jornal O Globo.

O que aconteceu?

Segundo o presidente da companhia, os valores serão ajustados conforme a "gestão" que a empresa pode fazer. "A gente vai fazer com parcimônia e tranquilidade porque não vamos nos desgarrar do preço internacional como uma Venezuela e vender o diesel ao preço que quiser. Quando subir lá fora, terá que subir aqui dentro. Quando descer lá fora, vai ter que descer aqui", afirmou.

Prates disse que essa estratégia vai ser um modelo aplicado "sem deixar de lucrar". "Cada área de influência de refinaria vai ter um. E não é só por região. É por cliente também. Se você compra muito, faço um preço melhor. Se compra para entregar no Porto de Santos é uma coisa, se compra para entregar no interior, é outra."

Dessa forma, ele avalia que a empresa brasileira terá sempre a "melhor opção de preço". "O preço do petróleo é a variável mais selvagem que existe no mundo, mais do que qualquer moeda ou taxa de juros. Se desgarrar demais dela é ficar numa zona de perigo, tanto para cima quanto para baixo", acrescentou Prates.

Lula: governo mudará política de preços 'no momento certo'

A declaração foi dada pelo presidente no início do mês passado, durante um café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto.

Com a fala, Lula procurou acalmar os ânimos após desencontros entre o Ministério de Minas e Energia e a Petrobras. "A política de preços da Petrobras será discutida pelo governo no momento em que o presidente da República convocar o governo para discutir política de preço", afirmou.

"O Brasil não tem por que estar submetido à PPI [Política de Preços Internacional]. Mas isso é um problema que nós vamos discutir num momento certo", disse.

Durante a campanha, Lula disse que a atual política de preços da Petrobras é "para agradar aos acionistas em detrimento de brasileiros" e prometeu fazer mudanças para que o preço seja calculado em função dos custos nacionais.