Conteúdo publicado há 1 mês

Tales: Dilma tentou barrar aumento da conta de luz, mas criou confusão

Não é simples conter a alta do aumento da conta de luz, tanto que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) tentou, mas não conseguiu, disse o colunista do UOL Tales Faria, no UOL News da manhã de hoje (22).

O governo Lula está preparando medidas para conter o aumento, segundo a colunista Mariana Londres, do UOL.

O governo tem uma participação grande na composição da conta, até pela legislação. Os aumentos na conta do consumidor são usados para bancar isenções e condições especiais que foram sendo criadas para o mercado livre.

Pode ser que dê certo, é complicado, não é simples não. A Dilma tentou mexer no vespeiro e acabou criando mais confusão, que resultou em uma confusão muito grande na política de energia elétrica do país. É um setor que o governo tem como tentar diminuir, mas que tem que tomar muito cuidado para não criar problemas sérios. Tales Faria, colunista do UOL

O que aconteceu?

Dilma tentou reduzir, mas aumentou preço. Relatório do TCU (Tribunal de Contas da União) de 2016 apontou que uma MP de 2012 que tentava reduzir o preço da energia teve o efeito inverso.

O texto da MP 579 pretendia baixar o preço das contas de energia entre 16% e 28%. Houve queda em 2013, mas em 2014, as contas começaram a subir e chegaram a aumentar em média 50% em 2015.

TCU apontou os impostos eram o que pesava na tarifa, mas não foram alterados pela MP. O relatório também apontou falta de controle nos subsídios, que provocou pagamento extra de R$ 1,8 bilhão nas contas de luz.

Antes da MP, o Brasil tinha custo de energia abaixo da média de 26 países. No final de 2015, a tarifa residencial no Brasil já era superior a de 20 regiões e a industrial era a terceira mais cara do grupo.

Continua após a publicidade

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja a íntegra do programa:

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes