Ajuste fiscal é chave para recuperar economia, diz diretor do BC

BELÉM (Reuters) - O ajuste fiscal é chave para a recuperação da economia e é preciso perseverança e determinação para que ele siga adiante, afirmou nesta segunda-feira (9) o diretor de Política Econômica do Banco Central, Altamir Lopes, após repetir que não há espaço para corte nos juros básicos.

Lopes destacou que ainda há incertezas no balanço de riscos que impedem a flexibilização da política monetária, citando a política fiscal expansionista e a inflação em patamar elevado.

No fim de abril, o BC manteve a Selic em 14,25% ao ano em decisão unânime pela primeira vez desde outubro. Apesar do consenso abrir a porta para eventual corte dos juros à frente, a autoridade ressaltou em suas comunicações mais recentes que isso não acontecerá tão cedo.

Lopes pontuou, durante apresentação do Boletim Regional, que as expectativas de inflação estão caindo, mas ainda não estão em linha com os objetivos do BC. Ou seja, de trazer a inflação para dentro da meta em 2016 e para o centro do objetivo em 2017.

O centro da meta do governo é de 4,5% pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) nos dois anos, mas com margem de 2 pontos percentuais em 2017 e de 1,5 ponto percentual no ano que vem.

Na pesquisa Focus mais recente, conduzida pelo BC todas as semanas com uma centena de economistas, a expectativa para a inflação em 2016 subiu pela primeira vez, a 7%, após oito semanas seguidas de queda. Para o ano que vem, a estimativa foi reduzida a 5,62.

(Por Alonso Soto; Texto de Marcela Ayres)

Entenda o que é o ajuste fiscal do governo em um minuto

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos