Bolsas

Câmbio

Coreia do Sul considera fechar Bolsas domésticas de criptomoedas

Dahee Kim e Cynthia Kim

SEUL, 18 Jan (Reuters) - As autoridades sul-coreanas se juntaram nesta quinta-feira ao coro global de críticas às criptomoedas, dizendo que Seul considera fechar as Bolsas domésticas de moedas digitais, à medida que a nova modalidade expõe os usuários ao frenesi especulativo e ao crime.

A postura mais dura do país surge num momento em que autoridades nos Estados Unidos e na Alemanha se esforçam para implementar uma regulação mais rígida contra lavagem de dinheiro e outros crimes.

Respondendo a questões no parlamento, o chefe da Comissão de Serviços Financeiros da Coreia do Sul disse: "(O governo) está considerando fechar todas as Bolsas locais de moedas virtuais ou apenas aquelas que estão violando a lei".

Separadamente, o presidente do banco central da Coreia, Lee Ju-yeol, disse em coletiva de imprensa que a "criptomoeda não é uma moeda legal e não está sendo usada dessa forma a partir de agora."

Reguladores em todo o mundo estão debatendo como lidar com os riscos impostos pelas criptomoedas, como o bitcoin, que é a mais popular do mundo e subiu mais de 1.700% no ano passado.

Os preços despencaram desde que a Coreia do Sul anunciou na semana passada que poderia banir as Bolsas domésticas de criptomoedas. Na quarta-feira, o bitcoin derreteu 18%.

Segundo a Bithumb, segunda maior bolsa de moedas virtuais da Coreia do Sul, o preço do bitcoin no país girava em torno de 15.697.000 wons (US$ 14.690) na quinta-feira.

Na Bolsa Bitstamp, cuja sede fica em Luxemburgo, o bitcoin era negociado a US$ 11.750.

Opiniões divididas

Hong Nam-ki, ministro do gabinete para coordenação de políticas governamentais, disse que as opiniões sobre a negociação da criptomoeda estão muito divididas dentro do governo, mas prometeu tomar uma decisão sobre as regras na sessão parlamentar de quinta-feira.

Na semana passada, o ministro de Justiça da Coreia do Sul disse que a pasta estava preparando um projeto de lei para banir a negociação de criptomoedas, o que derrubou fortemente os preços do bitcoin e gerou turbulências no mercado.

A mudança em direção a uma regulação mais rígida desencadeou uma forte reação entre muitos sul-coreanos, milhares do quais assinaram uma petição para impedir a proibição da negociação de criptomoedas.

Nesta quinta-feira, o presidente do BC sul-coreano informou que a instituição começou a olhar para o impacto do mercado na economia. "Começamos a olhar para a moeda virtual do ponto de vista de longo prazo, à medida que os bancos centrais podem começar a emitir moedas digitais no futuro."

(Reportagem adicional de Christine Kim)

Bitcoin é fraude? Entenda por que bancos querem distância

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos