ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Economia fiscal com reforma da Previdência é de cerca de R$ 600 bi, diz Meirelles

07/02/2018 15h38

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quarta-feira (7) que o benefício fiscal com a reforma da Previdência tal qual apresentada nesta manhã ao Congresso Nacional será de cerca de R$ 600 bilhões em 10 anos, reiterando expectativa de aprovação do texto até o fim de fevereiro na Câmara dos Deputados.

Falando em evento voltado a empresários e investidores, Meirelles disse que a economia com a alteração das regras para aposentadoria está acima de 50% do que seria possível garantir com a proposta original do Executivo, que previa benefício de R$ 800 bilhões em uma década.

Os números, contudo, são mais otimistas que outros já apresentados pelo próprio ministro. No fim de novembro, quando o governo admitiu a desidratação da proposta em pontos importantes, diminuindo o tempo mínimo de contribuição para 15 anos e deixando de fora quaisquer alterações nas regras para trabalhadores rurais e para a concessão do BPC (Benefício de Prestação Continuada), o ministro havia informado que a economia com o formato era de cerca de R$ 480 bilhões em 10 anos.

Além de manter essas decisões, o texto divulgado agora fez outra flexibilização, acrescentando o direito de integralidade de pensão a cônjuges de policiais mortos em combate.

Votos a favor

Para o ministro, houve "evolução grande" da percepção da necessidade da reforma da Previdência e número de votos a seu favor está gradualmente aumentando.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a matéria precisa de 308 votos em dois turnos de votação para ser aprovada na Câmara. Depois, ainda passa pelo Senado.

Durante sua fala, Meirelles avaliou ainda que o país tem que fazer seu dever de casa para não depender dos humores do mercado internacional, após a semana ter começado com forte volatilidade por conta de temores de aperto monetário mais duro nos Estados Unidos.

Segundo o ministro, é preciso observar a evolução da bolsa norte-americana.

(Reportagem de Iuri Dantas; Texto de Marcela Ayres)

Recebemos um salário de fome, diz aposentado

UOL Notícias

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia