PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Guedes cancela participação em evento internacional para reunião com Lira

Assessoria do ministro da Economia Paulo Guedes não esclareceu imediatamente a mudança de agenda - Por Isabel Versiani
Assessoria do ministro da Economia Paulo Guedes não esclareceu imediatamente a mudança de agenda Imagem: Por Isabel Versiani

Isabel Versiani

23/02/2021 12h35

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, cancelou em cima da hora participação em evento internacional virtual nesta terça-feira para se reunir com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e tratar da agenda fiscal do governo.

A votação da chamada PEC Emergencial, que abre caminho para a renovação do auxílio emergencial no contexto de enfrentamento da crise da pandemia, está prevista para a próxima quinta-feira no Senado. Depois de votada em dois turnos, segue para a Câmara. O parecer da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi protocolado nesta terça-feira no Senado.

Guedes não dá declarações públicas desde que o presidente Jair Bolsonaro anunciou, na sexta-feira, decisão de trocar o comando da Petrobras, alimentando especulações sobre interferência política na gestão da estatal, expectativas de novas mudanças no governo e dúvidas sobre o comprometimento do Palácio do Planalto com a agenda defendida pelo ministro da Economia.

Nesta terça, Guedes era esperado em evento promovido pelo "think tank" Center for Strategic and International Studies, em que trataria do processo de adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Ao se desculpar pela ausência de Guedes, o mediador do evento disse que o ministro teve que lidar com "um conjunto de questões emergenciais" relacionadas a reformas no Congresso.

Essa foi a segunda vez neste ano que o ministro cancelou participação em evento internacional em cima da hora. No final de janeiro, Guedes deixou de participar de painel no Fórum Econômico Mundial de Davos. Na ocasião, sua assessoria disse que o ministro teve que "resolver assuntos internos".

PUBLICIDADE