IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Presidente da Starbucks recusa convite para audiência no Senado dos EUA

15/02/2023 10h52

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - O presidente-executivo da Starbucks, Howard Schultz, recusou um convite de 11 senadores para testemunhar em 9 de março sobre o cumprimento pela empresa da lei trabalhista norte-americana, de acordo com uma carta vista pela Reuters na noite de terça-feira.

Na semana passada, o senador norte-americano Bernie Sanders, que preside um comitê sobre questões trabalhistas, e 10 outros membros do comitê pediram a Schultz que respondesse até 14 de fevereiro se ele participaria.

Schultz, que voltou a se juntar à Starbucks como presidente-executivo interino em abril de 2022, fará a "transição total" do cargo no próximo mês, disse a vice-presidente executiva interina da Starbucks, Zabrina Jenkins, na carta.

“Dado o momento da transição, sua renúncia a qualquer função operacional na empresa daqui para frente e o que entendemos ser o assunto da audiência, acreditamos que outro líder sênior com responsabilidades continuadas é o mais adequado para abordar esses assuntos”, escreveu Jenkins.

Sanders, que no mês passado assumiu a presidência do Comitê de Saúde, Educação, Trabalho e Pensões (HELP), disse na semana passada que a Starbucks "lutou contra seus funcionários em todas as etapas, inclusive recusando-se a negociar um primeiro contrato de boa fé, táticas de atraso, e uma escalada significativa na repressão sindical".

O escritório de Sanders não comentou imediatamente a carta da Starbucks.

A Starbucks disse que o vice-presidente executivo e diretor de relações públicas, AJ Jones II, está disponível e é a melhor pessoa para tratar de questões de política de força de trabalho. Jones é um ex-assessor sênior do deputado democrata James Clyburn.

A Starbucks diz que respeita o direito de seus funcionários de se organizarem e se envolverem em atividades sindicais.