IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Ibovespa tem leve alta em sessão de ajuste, mas registra queda semanal

20/04/2023 17h08

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em leve alta nesta quinta-feira, antes de feriado de Tiradentes no Brasil, destoando de Wall Street, com certa correção após queda de mais de 2% na véspera.

Apesar do desempenho positivo na sessão, o Ibovespa encerrou a semana no vermelho, diante, em especial, de preocupações quanto à viabilidade do arcabouço fiscal e, no exterior, temor de elevação dos juros nos Estados Unidos.

Weg e Localiza foram as principais influências positivas para o índice na sessão, enquanto Vale e Suzano ficaram na ponta oposta.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,44%, a 104.366,82 pontos, mas acumulou queda de 1,8% na semana. O volume financeiro da sessão somou 23,6 bilhões de reais, em dia de vencimento de opções sobre ações.

"A pressão negativa forte ontem abre um espaço para correção no dia seguinte", disse Gabriela Joubert, analista-chefe do Inter, sobre o movimento na sessão.

O Ibovespa caiu 2,12% na véspera, maior tombo em cerca de um mês, com preocupações sobre alguns pontos da proposta de arcabouço fiscal do governo, como o fato de o texto não trazer responsabilidade legal em caso de descumprimento da regra e da existência de mais de uma dezena de exceções de despesas sujeitas à limitação. O cenário externo e a pressão da Vale também contribuíram para a queda acentuada.

Mário Mariante, analista-chefe da Planner Corretora, afirmou que o mercado nesta quinta-feira operou "devagar" e "sem muito viés". Ele destacou que a próxima semana deve ser movimentada, com indicadores macroeconômicos de fim de mês e mais balanços corporativos no país, incluindo de Santander Brasil, que abre a temporada de resultados para grandes bancos brasileiros.

Em Wall Street, os principais índices acionários caíram na sessão --o S&P 500 marcou queda de 0,60%-- após balanços corporativos, incluindo da Tesla, desapontarem, enquanto investidores seguiram atrás de mais pistas sobre os próximos movimentos do Federal Reserve (Fed) quanto à política monetária.

DESTAQUES

USIMINAS PNA teve queda de 3,62%, a 7,18 reais. A siderúrgica divulgou nesta quinta-feira uma queda no lucro do primeiro trimestre sobre um ano antes, ainda que o resultado tenha vindo acima do esperado pelo mercado. A companhia também publicou projeção que indica queda nas vendas de aço no segundo trimestre, ano a ano. A empresa vê a possibilidade de "margens mais apertadas" no período, afirmou o diretor financeiro, Thiago Rodrigues, em conferência.

- HAPVIDA ON subiu 9,75%, a 2,59 reais, encerrando sequência de cinco quedas seguidas, em semana com diversas prévias de analistas para os resultados do setor de saúde no primeiro trimestre. O Citi manteve recomendação de "compra" para empresa nesta quinta-feira, ainda que tenha reduzido o preço-alvo de 5 para 4 reais.

- PETROBRAS PN teve alta de 0,68%, a 26,69 reais, após queda pela manhã. O avanço dos papéis ocorreu apesar de os preços do petróleo Brent caírem 2,4% no exterior, com temores de que uma recessão reduza a demanda por combustível e após uma alta nos estoques de gasolina nos EUA.

- BRASKEM PNA caiu 2,17%, a 19,35 reais. A petroquímica informou nesta quinta-feira que a Justiça de Alagoas determinou o bloqueio de cerca de 1,1 bilhão de reais das contas da empresa, em ação referente a fenômeno de afundamento de solo em Maceió.

- VALE ON perdeu 2,09%, a 74,66 reais, a sexta queda nos últimos sete pregões, diante de novo recuo do minério de ferro na Ásia, com oferta crescente da commodity e mais preocupações com regulamentação. A Vale divulgou relatório operacional do primeiro trimestre mais cedo nesta semana, com dado de vendas mais fraco que o esperado pelo mercado.

- ITAÚ UNIBANCO PN fechou com variação positiva de 0,27%, a 25,60 reais, BRADESCO PN ganhou 0,9%, a 13,51 reais, e SANTANDER BRASIL UNIT recuou 0,48%, a 26,96 reais. Pela manhã, o governo anunciou um pacote de medidas de incentivo ao crédito no país.

- LOJAS RENNER ON fechou com variação positiva de 0,07%, a 15,18 reais. De pano de fundo, a rival chinesa Shein prometeu investir 750 milhões de reais para ter produção no Brasil.