PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Todos a Bordo


Pintura 'tropical' em avião da Azul tem 58 cores e custou R$ 350 mil; veja

Divulgação
Imagem: Divulgação

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/02/2020 15h35

Resumo da notícia

  • Azul deve receber em março novo Embraer 195-E2 com pintura especial
  • Pintura padrão custa R$ 150 mil; esquema especial sai por R$ 200 mil a mais
  • Desenho foi criado pelo grafiteiro paulista Pardal, mas pintura foi automatizada
  • Avião precisa de tinta especial anticorrosiva, resistente e durável
  • Avião deve voar em todas as rotas da Azul por pelo menos 12 anos

A Azul deve receber no próximo mês um novo Embraer 195-E2. O avião virá com uma pintura especial, criada pelo grafiteiro paulista Pardal, e será chamado de Ararinha Azul.

Segundo o presidente da Azul, John Rodgerson, a pintura custou R$ 350 mil, mais que o dobro (R$ 150 mil) que o esquema padrão usado em outros aviões da companhia aérea.

O projeto foi criado em parceria com a empresa de tintas AkzoNobel, dona da marca Coral. O novo avião usa um total de 58 cores diferentes, das quais 28 foram criadas exclusivamente para esse projeto.

O novo avião deve entrar em operação em março e ser usado em todas as rotas da Azul pelo Brasil. A companhia aérea espera receber 25 aviões da Embraer neste ano. Pelo menos mais um deles também deve ter uma pintura especial, com a bandeira do Brasil estampada em toda a fuselagem.

150 quilos de tinta

Com o prefixo PS-AEF, o avião foi pintado na fábrica da Embraer em São José dos Campos, no interior de São Paulo, mas ainda aguarda a montagem final.

A pintura especial foi feita de forma automatizada. Ainda assim, levou o triplo do tempo para ser concluída: um avião normal pode levar até três dias para ser pintado, e a pintura especial levou dez dias de trabalho.

Para pintar um avião como o Embraer 195-E2, são necessários cerca 60 galões de tinta base e mais 40 galões de verniz. "No total, são cerca de 150 quilos de tinta", disse.

Embora utilize uma quantidade maior de cores em toda a fuselagem, o presidente da AkzoNobel para América do Sul, Daniel Geiger Campos, afirmou que não houve mudança significativa no peso do avião.

Maquete do avião Embraer 195-E2 da Azul com a nova pintura especial - Vinícius Casagrande/UOL
Maquete do avião Embraer 195-E2 da Azul com a nova pintura especial
Imagem: Vinícius Casagrande/UOL

Tinta especial para aviação

O processo de pintura de um avião é algo que exige não apenas criatividade, mas também muita tecnologia. A tinta aeronáutica precisa de certas características próprias, que são determinadas pelo fabricante do avião.

A função da tinta vai muito além de embelezar o avião. "O principal é garantir uma proteção contra corrosão", afirmou o gerente de Negócios Aerospace para as Américas da AkzoNobel, Marcelo Fassina.

Além disso, a tinta influencia também no consumo de combustível do avião. Além do peso, há também questões aerodinâmicas envolvidas. "O escoamento do ar pela fuselagem do avião é fundamental. Se a tinta não permite o escoamento adequado, isso aumenta o arrasto", afirmou Fassina.

A tinta também precisa ser resistente para suportar fortes impactos. "O avião voa a 900 km/h e, quando pega chuva em voo, a força do impacto é enorme. Nas decolagens e pousos, a asa se move. A tinta precisa suportar essas forças sem rachar", disse Fassina.

Outro ponto importante está na durabilidade. Segundo o presidente da AkzoNobel para América do Sul, a empresa dá uma garantia de oito anos para a tinta. O presidente da Azul, no entanto, tem a expectativa que a pintura especial dure ao menos 12 anos, que é o período no qual o avião deve ficar na frota da companhia brasileira.

Arara azul e pardal

Ao lado da porta de embarque dos passageiros, sombra de uma arara se transforma na imagem de um avião sobre o mapa do Brasil - Divulgação
Ao lado da porta de embarque dos passageiros, sombra de uma arara se transforma na imagem de um avião sobre o mapa do Brasil
Imagem: Divulgação

A pintura especial do novo avião da Azul conta com o desenho de seis araras azuis, sendo três em cada lado da fuselagem, além de vários elementos que remetem à flora brasileira. Na parte traseira da fuselagem, há o desenho de um pardal, que é uma das marcas do artista que criou o projeto. A pintura preenche os 41,5 metros de comprimento do Embraer 195-E2.

O presidente da Azul afirmou que a intenção do projeto foi exatamente valorizar as cores do país. "A gente está ajudando a conectar e ter o Brasil muito mais colorido. Você pode voar em qualquer aeronave para chegar do ponto A ao ponto B, mas é muito melhor voar em uma aeronave linda com uma pintura especial", disse.

Ao apresentar a maquete com a pintura especial do novo avião da Azul, o presidente da companhia aérea destacou o ponto que considera mais interessante, logo ao lado da porta de embarque dos passageiros. A sombra de uma das araras foi transformada na imagem de um avião sobre o mapa do Brasil. "Essa é a parte mais legal do desenho", disse.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Como é o teste de um avião novo, que inclui até queda de barriga

UOL Notícias
Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que era informado no título e no segundo parágrafo, o valor da pintura foi R$ 350 mil, e não US$ 350 mil. A informação foi corrigida.

Todos a Bordo