PUBLICIDADE
IPCA
0,21 Jan.2020
Topo

Todos a Bordo


Conheça os 5 maiores aviões de passageiros do mundo; veja vídeo

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Airbus A380 é atualmente o maior avião comercial em produção
  • Modelo terá sua produção encerrada no próximo ano
  • Boeing 747 é o segundo maior, mas também pode ter sua produção encerrada em breve
  • Futuro Boeing 777X deverá reinar como maior do mundo em produção

A Airbus chamou atenção na semana passada com o início das operações do avião cargueiro Beluga XL, conhecido como "baleia voadora". A aeronave, porém, não é feita para o transporte de passageiros, mas para transportar grandes peças de outros aviões que são fabricados pela empresa.

No mercado de aviação comercial de passageiros, no entanto, a Airbus também se destaca ao contar atualmente com o maior avião em produção. Porém, a fabricante europeia deve perder o primeiro lugar quando deixar de produzir o A380. O fim da produção está previsto para o ano que vem.

Nos próximos anos, quem deve assumir o posto é o Boeing 777X, já que jumbo 747 também parece estar com os dias contados na linha de produção.

Enquanto os dois maiores aviões comerciais do mundo não se aposentam, veja quais são as atuais cinco maiores aeronaves de passageiros em produção:

Airbus A380

Divulgação
Imagem: Divulgação

Capacidade padrão: 489 a 615 passageiros

Comprimento: 72,72 metros

Envergadura: 79,75 metros

Altura: 24,09 metros

O Airbus A380 é o maior avião comercial já construído na história. O gigante tem capacidade para levar até 850 passageiros em classe única. Na configuração mais utilizada pelas companhias aéreas, no entanto, a capacidade do avião gira em torno de 500 passageiros.

Na Emirates, maior operadora do modelo com 115 aviões na frota, a capacidade do A380 varia entre 489 e 615 passageiros.

No Brasil, a Emirates é a única companhia aérea que opera com esse modelo de avião em voos entre Dubai (Emirados Árabes Unidos) e São Paulo. Para poder receber o avião, o aeroporto de Guarulhos precisou passar por adaptações para aumentar, por exemplo, a largura da pista.

Apesar de chamar a atenção em todos os aeroportos em que opera, o Airbus A380 foi um fracasso comercial. O modelo teve 251 pedidos firmes, sendo que 242 unidades já foram entregues. A previsão é a que a produção do modelo termine no ano que vem.

Boeing 747

Divulgação
Imagem: Divulgação

Capacidade padrão: 410 passageiros

Comprimento: 76,3 metros

Envergadura: 68,4 metros

Altura: 19,4 metros

Conhecido como jumbo, a versão 747-8 é o maior avião comercial fabricado pela Boeing até o momento. A empresa afirma que o avião tem uma capacidade padrão para até 410 passageiros quando configurado com três classes de cabine. Na alemã Lufthansa, porém, são apenas 364 passageiros.

Lançado há mais de 50 anos, o Boeing 747 revolucionou o mercado de aviação em todo o mundo. Nos últimos anos, no entanto, o modelo vem perdendo espaço e diversas companhias aéreas em todo o mundo já aposentaram o 747 de suas frotas. Com quatro motores, o avião gasta mais combustível que seus principais concorrentes.

A Boeing já produziu mais de 1.500 unidades no modelo, mas segundo dados da própria empresa restam apenas mais 17 pedidos a serem entregues. Se o 747 não receber mais nenhuma encomenda, esse ícone pode estar com os dias contados.

Boeing 777

Divulgação
Imagem: Divulgação

Capacidade padrão: 396 passageiros

Comprimento: 73,9 metros

Envergadura: 64,8 metros

Altura: 18,5 metros

O Boeing 777 é o maior jato bimotor do mundo. A versão 777-300ER só perde em tamanho e capacidade de passageiros para o A380 e 747, mas ambos são equipados com quatro motores. O fato de ter apenas dois motores faz com que o Boeing 777 seja econômico, e é isso o que o torna popular entre companhias aéreas de todo o mundo.

A Boeing declara que a capacidade padrão com o avião configurado em duas classes de cabine é de 396 passageiro. Na Emirates, que 155 aviões do modelo na frota e encomenda para outros 126 aviões, a capacidade varia entre 354 (três classes) e 442 assentos (duas classes).

A Boeing trabalha no desenvolvimento de uma nova versão do Boeing 777, apelidada até o momento como 777X. A empresa anunciou que o novo avião deve fazer seu primeiro voo de teste até a próxima quinta-feira (23).

A350

Regis Duvignau/Reuters
Imagem: Regis Duvignau/Reuters

Capacidade padrão: 350 a 410 passageiros (em três classes)

Comprimento: 73,79 metros

Envergadura: 64,75 metros

Altura: 17,08 metros

A versão A350-100 é o avião com a fuselagem mais comprida entre todos os modelos da Airbus. Ele é, inclusive, um metro maior que o gigante A380. A diferença é que o A380 tem dois andares, enquanto o A350-1000 segue o padrão de um único deque de cabine.

Embora a Airbus diga que o avião tenha capacidade para até 410 passageiros divididos em três classes de cabine, as Cathay Pacific e a Qatar Airways, as duas principais operadoras do modelo, utilizam a configuração com 351 assentos.

Além da capacidade de passageiros, o avião também atrai a atenção das companhias aéreas pela sua autonomia. Uma nova versão de ultralongo alcance deve ser utilizada pela australiana Qantas para seu projeto de voos mais longos do mundo, com até 20 horas de duração.

Boeing 787

Divulgação
Imagem: Divulgação

Capacidade padrão: 336 passageiros (em duas classes)

Comprimento: 68 metros

Envergadura: 60 metros

Altura: 17 metros

O 787 tem três tamanhos diferentes, sendo o 787-10 é a maior versão do modelo. Configurado em duas classes de cabine, o avião tem capacidade padrão para até 336 passageiros. Primeira companhia aérea do mundo a voar com o modelo, o avião utilizado pela Singapore Airlines tem capacidade para 337 passageiros. Já na KLM, a capacidade chega a até 344 lugares.

O 787 foi um projeto inovador da Boeing por ser o primeiro avião comercial a ser fabricado com o uso de materiais compostos, que permitiram reduzir o peso do avião e, consequentemente, melhorar a economia de combustível.

Para o passageiro, o 787 chegou para ser um avião mais confortável. A Boeing utilizou novas tecnologias na cabine, mas a grande vantagem veio no sistema de pressurização. O modelo conta com uma pressão de cabine maior, que resulta em mais oxigênio a bordo. Isso faz com que o cansaço durante a viagem seja menor.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Como é o teste de um avião novo, que inclui até queda de barriga

UOL Notícias

Todos a Bordo