PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Coluna

Descomplique


Como perder o medo de começar a investir?

Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

01/06/2020 04h00

Investir está na moda. Dia após dia, surgem novas ferramentas, novos investimentos, tudo isso para facilitar a vida de quem quer começar nesse mundo. Porém, como tudo o que é novo costuma gerar medo, ansiedade e desconforto, muito iniciante fica paralisado frente a esses novos desafios.

Você se lembra da primeira vez que andou de bicicleta? Provavelmente, estava com medo de cair, de se machucar, de levar um tombo e doer. O que fez para perder o medo? Começou a pedalar em uma rampa íngreme logo de cara ou começou a dar uma ou duas pedaladas bem devagar? Bem possível que foi a segunda opção.

Acontece com todos

O medo faz parte do processo de aprendizagem. Tudo o que é novo gera desconfiança. Aqui mora um dos segredos para, aos poucos, criar confiança para fazer o primeiro investimento. Conhecendo as etapas do processo, os riscos e os mecanismos de segurança envolvidos no processo de investimento, fica bem mais fácil perder o receio de fazer o primeiro aporte.

São milhares os sites que divulgam gratuitamente informações sobre como começar a investir e como montar uma carteira de ativos. Aqui no Descomplique temos dezenas de artigos com esse tema. Instituições como o FGC, que protege investimentos de renda fixa como os CDBs em até R$ 250 mil em caso de falência dos bancos, e a CVM, que fiscaliza fundos e instituições financeiras trazem mais segurança para quem deseja começar nesse mundo.

Vá devagar

Comece aos poucos e com investimentos fáceis de entender. Por meio do Tesouro Direto é possível fazer a primeira aplicação com pouco mais de R$ 35 no tesouro IPCA e R$ 106 no Tesouro Selic. Este último é um excelente ativo para quem está começando, pois não gera prejuízo para o investidor (com exceção dos primeiros dias de aporte, quando pode existir um pequeno prejuízo que rapidamente é corrigido).

Além disso, o Tesouro Selic rende mais que a poupança ao longo do tempo e é muito fácil de entender e investir nele. O Tesouro Direto está disponível na maioria dos bancos e das corretoras de investimento com taxa zero de custódia.

Não precisa de muito

Com a proliferação das fintechs, surgiram vários bancos digitais que permitem que você invista com R$ 1 ou até menos em CDBs que rendem o mesmo que o Tesouro Selic. Pelo aplicativo do banco você faz o seu primeiro investimento sem nenhum esforço, com apenas alguns cliques.

É muito importante não pular etapas. A vontade de lucrar rápido é muito comum em quem acabou de começar a investir e ainda desconhece todos os riscos envolvidos nesse mundo. Ações promissoras e baratas normalmente escondem armadilhas para o iniciante e é muito mais fácil perder dinheiro do que ganhar nesse caso.

Tome cuidado

Além disso, são comuns esquemas de pirâmide se disfarçarem de investimentos para atrair a atenção do pequeno investidor. Fuja de promessas de ganhos de mais de 1% ao mês, pois esses rendimentos não são possíveis em investimentos sem muitos riscos.

Converse com pessoas que já investiram, tire suas dúvidas com elas ou até com educadores financeiros. Estou sempre aberta a receber mensagens, principalmente no meu Instagram, onde tenho contato direto com pessoas que querem começar a investir. Não deixe o medo paralisá-lo. Comece a ganhar mais com seu dinheiro e garanta um futuro melhor para você e sua família.

Como fazer o melhor tipo de empréstimo para sair do vermelho - Descomplique

UOL Notícias

Descomplique