PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quem deve assumir as despesas comuns num casal?

Getty Images
Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

04/04/2022 04h00

Quando nos casamos, precisamos nos adaptar a diversos costumes e rotinas que nunca tivemos antes. Muitas dessas mudanças são bastante estressantes e muitas vezes podem até levar a brigas. Sem dúvida, um dos assuntos que mais traz conflitos nesses momentos são as finanças.

Será que é melhor ter uma conta conjunta? Cada um paga por seus gastos? É melhor uma pessoa só ficar responsável por pagar as contas da casa enquanto a outra gasta como quiser? Separei alguns tópicos que podem ajudar você nessa decisão

A primeira coisa a fazer é conversar sobre o assunto de forma aberta. Deixar no ar ou não definir como vão dividir as contas e os salários de forma clara é uma forma certa para começar brigas.

Essa decisão normalmente tem forte influência familiar e cultural. Pessoas que foram criadas com os pais dividindo todas as contas provavelmente terão o mesmo comportamento. O mesmo vale para criações mais liberais, em que a mulher é estimulada a formar patrimônio e ser independente desde criança.

Em criações mais conservadoras não é incomum ver o homem pagando pelas contas da casa enquanto a mulher é livre para fazer o que quiser com o dinheiro. Nenhuma dessas formas pode ser considerada certa ou errada, o que é precisamos saber é que os extremos devem ser evitados.

Por exemplo, se um dos integrantes do casal ganha muito mais que o outro (por exemplo, o dobro do salário), não faz sentido dividir contas e gastos de forma igual. Uma pessoa vai viver um padrão de vida muito melhor enquanto a outra que ganha menos poderá ter dificuldades para fazer aquilo de que gosta ao mesmo tempo em que sustenta a casa. Nesse caso, vale dividir as contas de forma proporcional ao salário.

Quando o casal decide juntar todo o dinheiro em uma conta conjunta, as conversas sobre finanças precisam ser constantes. É normal os membros do casal culparem uns aos outros sempre que as finanças estão indo mal e criticar as decisões financeiras tomadas.

Por isso é muito importante reservar um momento todos os meses para planejar as finanças e conversar sobre planos futuros. Dinheiro deve ser assunto não somente nos momentos de briga.

Quanto mais conversam, planejam e poupam para o futuro, maiores são as chances de terem sucesso financeiramente. Casais ricos entendem que a construção do patrimônio é algo que deve ser feito e planejado a dois.

A verdade é que, como quase tudo na vida do casal, não existe verdade absoluta. Existem pessoas que preferem se separar a juntar as contas enquanto outras preferem colocar tudo em uma conta só para não ter dor de cabeça.