IPCA
-0.04 Set.2019
Topo

Cotações


BC anuncia leilões diários até dezembro para tentar conter alta do dólar

Do UOL, em São Paulo

22/08/2013 18h57Atualizada em 22/08/2013 19h51

O Banco Central anunciou, nesta quinta-feira (22), que passará a fazer leilões de venda de dólares diariamente até o fim do ano, em uma tentativa de segurar a alta da moeda norte-americana. O programa começa a funcionar nesta sexta-feira (23), e deve se estender, pelo menos, até 31 de dezembro.

Nesse período, o BC pode injetar até US$ 60 bilhões no mercado. É a maior intervenção desse tipo desde o auge da crise internacional, em 2008. 

Nesta semana, o dólar atingiu o maior valor desde dezembro de 2008, e fechou em R$ 2,451 na venda. 

A alta do dólar tem causado preocupação em relação à inflação e ao endividamento das empresas brasileiras.

Até então, o BC fazia intervenções esporádicas no mercado, sempre que considerava necessário. De janeiro até agora, as intervenções do BC já somam US$ 40 bilhões.

O BC faz leilões de venda de dólares em uma tentativa de segurar a tendência de alta da moeda norte-americana. Com mais dólares sendo ofertados, o preço da moeda tende a cair. 

Desde de outubro de 2008, o BC não adotava um programa de intervenção cambial tão grande. Na ocasião, auge da crise internacional, fez um programa de injeção de US$ 50 bilhões no mercado.

Leilões em dias programados

De segunda a quinta-feira, o BC fará leilões de swap --equivalentes à venda de dólares no mercado futuro. Serão ofertados US$ 500 milhões por dia.

Já às sextas-feiras serão realizados leilões de linha --venda de dólar no mercado à vista com compromisso de recompra-- de até US$ 1 bilhão.

Outros leilões podem ser feitos se o BC considerar necessário, informou a autoridade monetária.

CLIQUE NA IMAGEM E ENTENDA COMO FUNCIONA O MERCADO DE DÓLAR

Medida não afeta reservas internacionais, diz BC

O BC destaca que, como são leilões de swap cambial e leilões de linha com compromisso de recompra, não haverá alteração nas reservas internacionais, que vão se manter estáveis. Só há "perda" de reserva se a autoridade monetária fizer leilões no mercado à vista, o que não acontece desde início de 2009.

Ontem, as reservas internacionais somavam US$ 373,559 bilhões, pelo conceito liquidez internacional.

Medida é bem recebida pelo mercado financeiro

A medida foi bem recebida por economistas do mercado financeiro, que afirmam que o programa reduzirá a instabilidade no mercado, mas dizem acreditar que a tendência do dólar é de alta em relação ao real.

Para o economista-chefe do INVX Global, Eduardo Velho, a medida mostra que o BC não quer utilizar a política monetária, elevando a taxa básica de juros, para conter a valorização do dólar no Brasil.

"O BC sinaliza com essa ação que ele não vai dar um choque monetário. Ele vai usar a política cambial para cobrir essa demanda", disse Velho.

Dólar cai a R$ 2,432 com ação do BC, após bater recorde em quase 5 anos

dólar comercial fechou em queda nesta quinta-feira (22), depois de ter atingido, na véspera, o maior patamar em quase cinco anos. A moeda norte-americana fechou com desvalorização de 0,78%, valendo R$ 2,432 na venda, em mais um dia marcado por muito vaivém e forte atuação do BC.

Por volta das 10h30, o BC fez um leilão equivalente à venda de dólares no mercado futuro. Foram vendidos todos os 20 mil contratos da oferta.

Às 11h30, o BC fez um leilão de venda de dólares no mercado à vista, com compromisso de recompra, com US$ 4 bilhões ofertados em dois lotes. O primeiro lote não foi vendido.

O BC não informou qual era o montante de cada lote; sobre o segundo, o BC não divulgou quanto a operação movimentou.

Após o fechamento dos negócios, a autoridade monetária anunciou que ofertará na sexta-feira até US$ 1 bilhão compromisso de recompra. O leilão ocorrerá entre as 11h15 e as 11h20 e terá como data de recompra 2 de janeiro de 2014.

O real tem sofrido o impacto dos sinais de mudança da política monetária dos Estados Unidos e também com certa desconfiança em relação à economia brasileira.

(Com Reuters e Valor)

Mais Cotações