Bolsas

Câmbio

Bolsa cai 2,8% e atinge menor nível desde abril de 2009; Petrobras sobe

Do UOL, em São Paulo

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta segunda-feira (4) com queda de 2,79%, a 42.141,04 pontos, na primeira sessão de 2016.

Essa é a menor pontuação de fechamento desde 1º de abril de 2009, quando o índice fechou aos 41.976,33 pontos.

A baixa de hoje foi influenciada, em parte, pelo tombo das Bolsas da China, que despencaram cerca de 7% após a divulgação de que a indústria do país recuou pelo 10º mês seguido em dezembro.

Na última sessão de 2015, a Bolsa brasileira havia caído 0,7%, acumulando queda de 13,31% no ano.

Vale e bancos caem

Também influenciou a queda do Ibovespa no dia o desempenho negativo da mineradora Vale e dos bancos, que têm grande peso sobre o índice.

As ações ordinárias da Vale (VALE3), com direito a voto em assembleia, caíram 2,61%, a R$ 12,69. As preferenciais (VALE5), que dão prioridade na distribuição de dividendos, perderam 2,44%, a R$ 10

O Itaú Unibanco (ITUB4) despencou 4,48%, a R$ 25,13, os papéis do Banco do Brasil (BBAS3) recuaram 3,39%, a R$ 14,24, e os do Bradesco (BBDC4) se desvalorizaram 1,45%, a R$ 19.

Petrobras sobe

No sentido oposto, as ações ordinárias da Petrobras (PETR3) subiram 1,17%, a R$ 8,67, enquanto as preferenciais (PETR4) avançaram 2,54%, a R$ 6,87.

Dólar sobe 2,18% e passa de R$ 4

No mercado de câmbio, o dólar comercial chegou a subir mais de 3% durante o dia, mas depois reduziu um pouco o avanço e fechou a primeira sessão de 2016 em alta de 2,18%, a R$ 4,034 na venda.

É o maior valor de fechamento desde 29 de setembro, quando a moeda norte-americana valia R$ 4,059. Na última sessão de 2015, a moeda norte-americana subiu 1,83% e encerrou o ano com alta de 48,5%. 

Bolsas internacionais

As Bolsas de Valores da China despencaram na sua primeira operação de 2016. O tombo foi tanto que as negociações foram suspensas pela primeira vez desde que o mecanismo para limitar perdas ou ganhos do mercado de ações, o chamado "circuit breaker", foi adotado, no ano passado.

A Bolsa de Xangai fechou em queda de 6,86%. O principal índice de ações chinês (CSI300), que reúne as maiores companhias listadas nas Bolsas de Xangai e Shenzen, perdeu 7,02%. A queda no mercado chinês puxou para baixo as principais Bolsas da Ásia e do Pacífico.

  • China: -6,86%;
  • Japão: -3,06%;
  • Hong Kong: -2,68%;
  • Taiwan: -2,68%;
  • Coreia do Sul: -2,17%;
  • Cingapura: -1,62%;
  • Austrália: -0,48%

As Bolsas da Europa fecharam em forte queda nesta segunda-feira, também puxadas pela queda do mercado chinês.

  • Alemanha: -4,28%;
  • Itália: -3,2%;
  • França: -2,47%;
  • Espanha: -2,42%;
  • Inglaterra: -2,39%;
  • Portugal: -1,54%;

(Com Reuters) 

 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos