Bolsa desaba 5%, maior queda desde 2011, puxada por Petrobras, Vale e Itaú

Do UOL, em São Paulo

As ações da Vale, da Petrobras e do Itaú Unibanco despencaram cerca de 9% cada e puxaram o tombo do Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, nesta terça-feira (2). O índice fechou em baixa de 4,87%, a 38.596,17 pontos. É a maior queda percentual diária desde 8 de agosto de 2011, quando a Bovespa havia perdido 8,08%.

Com isso, o índice interrompe uma sequência de quatro altas. Na véspera, a Bolsa havia subido 0,41%. 

A queda da Bolsa foi influenciada pela baixa dos preços do petróleo e pela divulgação de balanços de empresas. Apenas 4 das 61 ações que compõem o Ibovespa fecharam no azul hoje. 

Os papéis do banco Bradesco e da empresa de meios eletrônicos de pagamentos Cielo, que estiveram entre os mais negociados nesta sessão, também influenciaram a queda da Bolsa.

Petrobras e Vale despencam 

Os papéis preferenciais da Petrobras (PETR4), com prioridade na distribuição de dividendos, perderam 8,9%, a R$ 4,30. Os papéis ordinários (PETR3), com direito a voto, tombaram 8,51%, a R$ 6,02. Eles foram influenciados novamente pela queda do preço do petróleo. 

As ações ordinárias da Vale (VALE3) fecharam com queda de 9,47%, a R$ 8,60, enquanto as preferenciais (VALE5) se desvalorizaram 9,38%, a R$ 6,57.

Itaú e Cielo caem após balanço

Os papéis do Itaú Unibanco e da Cielo caíram forte após divulgação de balanço com resultados abaixo do esperado.

As ações do Itaú Unibanco (ITUB4) --as mais negociadas da sessão-- caíram 8,72%, a R$ 23,25. As da Cielo  (CIEL3) recuaram 6,45%, a R$ 31,20. 

Bradesco também recua

Os papéis do Bradesco (BBDC4) perderam 4,03%,  a R$ 17,85. Os do Banco do Brasil (BBAS3) tombaram 7,49%, a R$ 13,10.

Ações da Gol despencam

As ações da Gol (GOLL4), que não fazem parte do Ibovespa, despencaram 15,22%, a R$ 1,95. Na véspera, os papéis haviam disparado mais de 50%. 

Dólar sobe, mas fecha abaixo de R$ 4

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou em alta de 0,68%, cotado a R$ 3,986 na venda. Com isso, a moeda norte-americana interrompe uma sequência de três quedas.

Durante o dia, o dólar chegou a subir mais de 1% e passar do nível de R$ 4, mas depois o ritmo de avanço desacelerou.

Na véspera, o dólar havia caído 1,62% e atingido o menor valor de fechamento desde 30 de dezembro. 

Bolsas internacionais

As principais Bolsas de Valores da Europa fecharam em queda acentuada nesta terça-feira.

  • Itália: -3,05%
  • Espanha: -2,96%
  • França: -2,47%
  • Inglaterra: -2,28%
  • Portugal: -1,98%
  • Alemanha: -1,81%

A Bolsa da China fechou em alta de 2,3%, puxada por ganhos com ações de empresas com menor valor de mercado, em dia de poucos negócios. As demais Bolsas da Ásia e do Pacífico caíram, afetadas pela queda no preço do petróleo no mercado internacional. 

  • China: +2,29%
  • Austrália: -1%
  • Coreia do Sul: -0,95%
  • Cingapura: -0,89%
  • Hong Kong: -0,76%
  • Japão: -0,64%
  • Taiwan: -0,32%

(Com Reuters) 

 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos