Bolsas

Câmbio

Dólar fecha quase estável, a R$ 3,495, com cena política e ação do BC

Do UOL, em São Paulo

O dólar comercial chegou a operar em alta de quase 2% durante o dia, mas desacelerou e fechou esta terça-feira (12) praticamente estável, com leve alta de 0,01%, cotado a R$ 3,495 na venda. Com isso, a moeda norte-americana quebrou uma sequência de duas quedas.

Na véspera, o dólar havia caído 2,83% e terminado o dia abaixo dos R$ 3,50 pela primeira vez desde 21 de agosto de 2015. 

Crise política

O dólar operou em alta durante quase todo o dia por causa da atuação do Banco Central (leia mais abaixo), mas reduziu o ritmo em meio à perspectiva de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Nesta tarde, a bancada do PP na Câmara decidiu anunciar seu desembarque da base aliada do governo e o apoio ao processo de impeachment de Dilma. O gesto representa novo revés para o Planalto e amplia a sensação de que a presidente vem ficando cada vez mais isolada.

Na noite passada, a comissão especial do impeachment aprovou o parecer favorável à abertura do processo contra Dilma. O plenário da Câmara dos Deputados deve votar a matéria no próximo domingo (17)

Muitos investidores acreditam que, sem Dilma no poder, o ambiente político deve melhorar e, assim, ajudar na recuperação da atividade econômica. Outros, no entanto, afirmam que as dificuldades permaneceriam mesmo em caso de troca no governo.

Atuação do BC

O Banco Central aumentou sua atuação no mercado de câmbio nesta sessão diante da forte queda do dólar. Só nas duas últimas sessões, a moeda havia caído 5,39%.

O BC realizou quatro leilões de swap cambial reverso, equivalente à compra futura de dólares, algo pouco comum. As ações surtiram efeito e levaram a moeda norte-americana para cima durante o dia, mas a forte alta não se sustentou.

"[O dólar] caiu muito ontem e o BC veio forte hoje", afirmou à agência de notícias Reuters o gerente de câmbio da corretora Fair, Mário Battistel.

Diferente do que vinha fazendo em outras sessões, o BC não realizou hoje leilão de rolagem dos swaps cambiais tradicionais (oposto do swap reverso, equivalente à venda futura de dólares) que vencem em maio. Quando realizada, a venda dos swaps tradicionais tende a baixar o preço do dólar.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos