IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Cotações


Cotações

Dólar cai a R$ 3,766, menor valor em quase 3 semanas; Bolsa perde 1,55%

Do UOL, em São Paulo

2019-03-20T17:11:28

2019-03-20T17:28:55

20/03/2019 17h11Atualizada em 20/03/2019 17h28

O dólar comercial fechou em baixa de 0,61%, cotado a R$ 3,766 na venda. É o menor valor de fechamento em quase três semanas, desde 28 de fevereiro (R$ 3,753). O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, se refere ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em queda de 1,55%, a 98.041,37 pontos. Foi a segunda desvalorização seguida do índice.

EUA preveem manutenção dos juros

O dólar se firmou em queda durante a tarde, após o Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos) manter a taxa de juros, mas surpreender com a sinalização de que não deve aumentar a taxa até o final deste ano. Em comunicado, o órgão indicou que só pretende elevar os juros apenas mais uma vez até 2021.

"Era consenso de mercado que haveria duas altas de juros do Fed e havia expectativa de que a gente pudesse ver só uma alta de juros. Agora, eles vieram e disseram que não pretendem aumentar o juro este ano, então é dólar em queda livre e isso é muito bom para o Brasil e para países emergentes em geral", afirmou o diretor da Mirae Assets, Pablo Spyer.

Juros maiores nos EUA poderiam atrair para lá recursos atualmente aplicados em economias emergentes, como a brasileira. Com essa migração, a tendência seria de alta do dólar por aqui.

Após o fechamento dos mercados, o BC brasileiro também decidirá sua taxa básica de juros (Selic). A expectativa é que seja mantida em 6,5% ao ano.

Governo entrega reforma dos militares

O mercado acompanhava as notícias sobre a tramitação da reforma da Previdência. Hoje, o presidente Jair Bolsonaro entregou pessoalmente à Câmara a proposta com novas regras de aposentadoria para os militares.

A matéria deve tramitar no Congresso em paralelo à proposta que muda as regras gerais de aposentadoria para os trabalhadores do setor privado e para servidores públicos. Essa foi uma exigência de parlamentares para garantir que todos os setores da sociedade estejam incluídos na reforma da Previdência.

Técnicos do governo passaram a madrugada fazendo cálculos para fechar os últimos detalhes da proposta. Mais cedo, Bolsonaro se reuniu com ministros de Estado e comandantes da Forças Armadas para avaliar a versão final do texto. O encontro aconteceu poucas horas após ele desembarcar em Brasília após visita oficial de três dias aos Estados Unidos.

Atuação do BC

O Banco Central vendeu nesta sessão a oferta total de 14,5 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 7,975 bilhões de um total de US$ 12,321 bilhões que vencem em abril.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Mais Cotações