PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Finanças pessoais

Site especializado usa estudo psicológico para definir perfil de investidor

Do UOL, em São Paulo

05/02/2014 06h00

Você é do tipo gastão ou poupador? Age por impulso ou planeja suas finanças? A editora Casey Bond, do site americano de finanças pessoais "GoBankingRates", elaborou uma lista com os 8 tipos psicológicos mais comuns na hora de lidar com o dinheiro.

As análises foram baseadas no teste de personalidade Myers-Briggs, desenvolvido por Katharine Cook Briggs e sua filha Isabel Briggs Myers com base nas teorias psicológicas propostas por Carl Jung e também em entrevistas com especialistas.

Os 8 tipos mais comuns são:

Devedor  (D):

Toma dinheiro emprestado para fazer grandes compras e está sempre devendo. Seus gastos geralmente são maiores que os rendimentos.

Poupador (P):

Não gosta de dever dinheiro a ninguém e prefere comprar as coisas à vista, mesmo que isso signifique viver dentro de um orçamento mais rígido.

Agressivo (A):

Prioriza os rendimentos, e por isso acaba procurando investimentos mais arriscados. Trabalha muito mais para o presente do que para o futuro, quer desfrutar dos ganhos de curto prazo.

Conservador (C):

Avesso ao risco, geralmente gerencia suas finanças de modo a nunca perder dinheiro. Tende a colocar uma grande proporção de seus investimentos em contas de poupança e fundos de previdência ou em ações de empresas de baixo risco. Gosta de investir em imóveis.

Planejador (P):

Busca oportunidades de poupar dinheiro e toma medidas estratégicas para fazê-lo dentro de seu orçamento. É bom em identificar e priorizar o dinheiro para ser usado nos vários objetivos que definem para realizar a curto e longo prazo. Gosta de colocar metas e objetivos para tudo.

Impulsivo (I):

Vive o momento. Não consegue controlar a ansiedade e reage mais do que planeja. Nem sempre isso é ruim, pois muitas vezes um investimento demanda uma decisão rápida, para não deixar passar uma oportunidade. Usa o dinheiro para o prazer, como férias.

Doador (D):

Motivado pelo desejo de cuidar das pessoas ou causas que ama. Independentemente da renda, sempre compartilha. Pode ser vítima de fraude ou golpes.

Colecionador (C):

Não gosta de dar dinheiro, não por mesquinhez, mas por cautela, já que os colecionadores são movidos pelo medo da perda financeira, evitando, de qualquer maneira, situações que exigem a troca do seu dinheiro. Não gostam de gastar ou emprestar.

PUBLICIDADE

Finanças pessoais