IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Seguros: como estão as empresas do setor e qual se deu melhor?

Veja uma análise completa de Caixa Seguridade, BB Seguridade e Porto - Adobe
Veja uma análise completa de Caixa Seguridade, BB Seguridade e Porto Imagem: Adobe

10/05/2022 16h49

Três empresas do setor de seguros reportaram seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2022: Caixa Seguridade (CXSE3), BB Seguridade (BBSE3) e Porto (PSSA3) ex-Porto Seguro.

Lucro líquido

Caixa Seguridade (CXSE3) reportou lucro líquido recorrente de R$ 557 milhões no primeiro trimestre deste ano — aumento de 29% em relação ao reportado no mesmo período de 2021. De acordo com a empresa, "o resultado positivo é reflexo do incremento dos resultados operacional e financeiro auferidos no período".

O BB Seguridade (BBSE3) registrou lucro líquido de R$ 1,179 bilhão no mesmo período, alta de 20,7%. A companhia atribuiu seu resultado "à elevação da taxa média Selic [taxa básica de juros] e à expansão do saldo médio de ativos em quase todas as empresas".

A Porto (PSSA3), por sua vez, divulgou lucro líquido de R$ 175 milhões, queda de 40,6% em comparação com o primeiro trimestre de 2021. A seguradora justificou que seu o resultado foi influenciado negativamente pelo aumento da sinistralidade em ramos da Porto Seguros, a vertical que passou a reunir os produtos de seguro da companhia após a reestruturação anunciada em abril.

Resultado operacional

O resultado operacional é aquele que representa o lucro ou prejuízo envolvendo as atividades principais da empresa.

A Caixa Seguridade (CXSE3) reportou crescimento de 39% no resultado operacional no primeiro trimestre em comparação ao mesmo período de 2021, refletindo a melhora no segmento de seguros, em que os prêmios emitidos de vida cresceram 7,8%, os residenciais cresceram 6,0% e habitacional, 4,9%.

A BB Seguridade (BBSE3) divulgou alta de 7,7% em resultado operacional, com um destaque positivo para os prêmios emitidos pelo segmento rural, que cresceram 44,9%.

A Porto (PSSA3) não acompanhou seus concorrentes e reportou queda de 48,5% em resultado operacional na mesma base de comparação.

Taxa de sinistralidade

A taxa de sinistralidade é um importante indicador que corresponde à relação entre quanto o segurado pagou à seguradora naquela apólice (prêmio) e o quanto a seguradora pagou em indenizações (sinistros).

Com relação a essa taxa, a Caixa Seguridade (CXSE3) foi a melhor do setor nesse trimestre em análise, reportando redução de 3,2 pontos percentuais — reflexo da diminuição de sinistros com causa relacionada à pandemia de covid-19. As outras duas empresas, a BB Seguridade (BBSE3) e a Porto (PSSA3), reportaram alta na sinistralidade.

A BB Seguridade (BBSE3) teve elevação de 7,5 pontos percentuais na sua sinistralidade, impactada pelo alto volume de sinistros do seguro agrícola, decorrente da seca que atingiu o Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul.

A Porto (PSSA3) reportou uma alta de 10,5 pontos percentuais na sinistralidade, impactado negativamente pelo ramo de seguros.

Ações na Bolsa de Valores

As ações de BB Seguridade (BBSE3) acumulam alta de 21,3% no ano de 2022 e alta de 9,1% nos últimos 12 meses. Às 16h09 (horário de Brasília) desta terça-feira (10) os papéis operavavam em baixa de 1,50%, a R$ 25,00 cada.

Caixa Seguridade (CXSE3) apresenta queda de 5,7% no ano e baixa de 30,4% no acumulado de 12 meses. Hoje as suas ações estão em queda de 0,92% no mesmo horário, a R$ 7,53 cada.

Por fim, a Porto (PSSA3) tem desvalorização de 7,9% no ano e 26,1% nos últimos 12 meses. No mesmo horário, os papéis da empresa eram negociados com desvalorização de 2,43%, a R$ 18,85 cada.

Perspectivas para o setor

O segmento de seguridade ainda é muito subpenetrado no Brasil em comparação a outros países desenvolvidos do mundo. O setor corresponde a 4% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto a média global é de cerca de 7%. Nos EUA e no Canadá, esses números chegam a 12%.

As empresas do setor têm um forte potencial de crescimento, principalmente com a mudança de hábitos pós-covid, que fez com que o brasileiro buscasse mais soluções como seguros médicos e de vida.

Com exceção de Caixa Seguridade (CXSE3), que viu sua sinistralidade cair no primeiro trimestre de 2022, as empresas do setor ainda seguem pressionadas com os sinistros — principalmente BB Seguridade (BBSE3), devido à alta exposição ao agronegócio.

Com a questão da pandemia estabilizando e com o avanço da vacinação da população, a taxa de sinistralidade deve retornar aos patamares normais, refletindo-se positivamente no lucro e na rentabilidade das empresas.

Distribuição de dividendos

O setor de seguros é conhecido por pagamentos bons dividendos, uma vez que as empresas costumam ter uma forte geração de caixa e acabam não tendo como investir fortemente na própria empresa visando um crescimento exponencial do negócio, dada a própria dinâmica do setor.

Por causa dessa fama, o diretor financeiro da Caixa Seguridade (CXSE3), Eduardo Oliveira, declara que a sistemática de pagamento de dividendos da empresa é semestral, mas vem estudando alterar a agenda de pagamento dos proventos da empresa, de forma a fazê-la trimestralmente.

A Caixa Seguridade (CXSE3) apresentou um dividend yield — DY, índice criado para medir a rentabilidade dos dividendos de uma empresa em relação ao preço de suas ações — nos últimos 12 meses de 7,11%. Já o da BB Seguridade (BBSE3) ficou em 5,72%, e da Porto (PSSA3), em 5,05%.

Para o PagBank a preferência do setor é para as ações da BB Seguridade (BBSE3), acreditando-se na valorização da companhia e estipulando um preço-alvo de R$ 30 (estimativas da Bloomberg) por ação — o que dá um potencial de valorização de 19,5%, considerando o preço da ação de hoje, que oscila por volta de R$ 25,10.