PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Conheça 19 fundos imobiliários com rendimento acima da taxa de juros

Financiamento imobiliário fundo imobiliário fundos imobiliários FIIs imóvel imóveis casa própria - ArLawKa AungTun/iStock
Financiamento imobiliário fundo imobiliário fundos imobiliários FIIs imóvel imóveis casa própria Imagem: ArLawKa AungTun/iStock
só para assinantes
Sílvio Crespo

Sílvio Crespo é sócio do Grana, aplicativo que automatiza o IR de investimentos na Bolsa. Como jornalista de economia, ganhou diversos prêmios, inclusive o de melhor blog de economia do Brasil, concedido pela Case New Holland, pelo antigo blog Achados Econômicos, no UOL. Paralelamente, hoje cursa psicologia na USP.

05/08/2022 04h00

Existem hoje no Brasil 19 fundos de investimento imobiliário (FIIs) com rendimento superior ao da nova taxa básica de juros, a Selic, agora em 13,75% ao ano.

Na coluna de hoje você vai ver a lista completa desses FIIs e vai entender os cuidados que devem ser tomados ao comparar esse tipo de ativo com os investimentos de renda fixa.

Os 19 FIIs com retorno acima da Selic

Os fundos imobiliários listados abaixo estão, hoje, com um retorno em dividendos (DY, na sigla em inglês) superior a 13,75% ao ano.

Isso significa que, para cada R$ 100 investidos neles hoje, você tende a receber R$ 13,75 na sua conta ao longo dos próximos 12 meses, se esses ativos mantiverem o ritmo atual de distribuição de proventos. Veja abaixo quais são eles:

  1. URPR11 20,1%
  2. KNIP11 17,7%
  3. VGHF11 17,6%
  4. ARCT11 17,1%
  5. VGIP11 17,1%
  6. VCJR11 16,9%
  7. HABT11 16,9%
  8. KNHY11 16,8%
  9. HCTR11 16,7%
  10. DEVA11 16,5%
  11. KNSC11 16,3%
  12. RECR11 15,4%
  13. VRTA11 15,0%
  14. RZAK11 14,8%
  15. CVBI11 14,5%
  16. IRDM11 14,4%
  17. CPTS11 14,2%
  18. MCHF11 14,2%
  19. RZTR11 14,0%

Para esse levantamento, considerei apenas os fundos imobiliários que movimentam mais de R$ 1 milhão por dia na Bolsa. Ativos pouco negociados oferecem um risco a mais para o investidor.

URPR11, o primeiro da lista

O fundo URPR11 (Urca Prime Renda) tem a proposta de trazer alto retorno aos investidores e, justamente por isso, oferece um risco relativamente mais alto do que a maioria.

Trata-se de um fundo de papel, ou seja, ao investir nele, você não se torna dono de imóveis, mas, sim, de créditos de financiamento imobiliário. Veja aqui as diferenças entre fundos de papel e de tijolo.

Em outras palavras, ao comprar uma cota do URPR11, você passa a receber uma parte do valor que os compradores de imóveis estão pagando aos bancos.

Portanto, se as pessoas que compraram imóvel por financiamento deixarem de pagar suas parcelas em dia, a tendência é que o seu rendimento mensal caia.

Outros destaques

O KNIP11 é outro fundo que frequentemente aparece nesta coluna. Trata-se do maior fundo imobiliário do país, com um patrimônio de R$ 6,8 bilhões.

É um dos primeiros FIIs em que eu investi. Mantenho-o na minha carteira e, sempre que posso, faço novos aportes. Também é de papel, mas tem uma proposta mais conservadora que o URPR11.

Além do KNIP11, também mantenho na minha carteira o VGIP11 e o VRTA11, entre os listados acima. Todos eles são defensivos em relação à inflação, por isso, nessa época de forte aumento de preços no país, têm oferecido um rendimento alto.

Cuidados ao comparar com renda fixa

Ao comparar a rentabilidade dos fundos imobiliários com a de investimentos de renda fixa (como Tesouro Direto e CDB), deve-se atentar para dois pontos importantes.

O primeiro é que os fundos imobiliários têm um risco mais alto. Mas no mercado financeiro é assim mesmo: em geral, para ganhar mais, é preciso arriscar mais.

Em uma coluna recente eu explico com mais detalhes quais são os riscos dos FIIs.

O segundo ponto é que os proventos pagos pelos FIIs são isentos de Imposto de Renda. Portanto, se um fundo imobiliário paga 13,75% ao ano, esse já é o rendimento líquido.

Já em um CDB ou no Tesouro, se descontarmos o IR, o rendimento líquido ficaria entre 10,7% e 11,7%.

Não é recomendação

Nenhuma informação deste ou de qualquer outro texto desta coluna deve ser vista como uma recomendação de compra ou de venda. Aqui eu apenas compartilho insights que tenho a respeito de investimentos.

Mesmo quando eu informo que invisto meu dinheiro em determinados ativos, não os estou recomendando. Cada um deve estar ciente dos riscos que está disposto a assumir.

Alguma dúvida?

Ficou alguma dúvida sobre este texto ou sobre investimentos em geral? Envie uma mensagem para o meu perfil no Instagram. Sua pergunta poderá ser respondida nesta coluna em breve.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.