PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Empreendedorismo: 4 fatores que levam empresas a fecharem as portas

André Porto/UOL
Imagem: André Porto/UOL

Gabriel do Amaral Riva

22/06/2022 04h00

Quem convive comigo sabe que desde criança adoro seriados e, mais precisamente, "A turma do Chaves", clássico dos anos 70 que é visto até hoje. Foi justamente assistindo a essa série que tive meu primeiro contato com empreendedorismo e educação financeira.

Como todos sabem, a comédia mostra as interações dos moradores de uma vila. Chaves é um menino órfão de oito anos que vive fazendo bagunça com alguns moradores.

Como um garoto órfão que mora em um barril é indiscutivelmente um empreendedor?

A resposta está em suas ações, pois o garoto vendia garrafas inutilizadas, montou uma barraca de refrescos, além de vender churros e ser garçom de um restaurante. Claro, tudo isso com uma pitada de humor e gargalhadas. Fato é que o garoto era incansável e sua maior motivação sempre foi a necessidade de conseguir ter uma refeição.

Ele escolheu empreender com o que estava ao seu alcance e desistir nunca foi uma alternativa. É importante ressaltar que toda vez que algo dava errado em seus "negócios", era por algum erro que cometia em seu gerenciamento.

Independente do contexto e motivação para empreender, é indispensável refletir sobre os desafios que pode encontrar.

O estudo (Sobrevivência das Empresas no Brasil), realizado pela Fundação Getúlio Vargas, em parceria com o Sebrae, mostrou que um terço das novas empresas brasileiras fecham em dois anos. Além de levantar essa informação, o estudo avaliou algumas das razões que levam a esse desfecho — encontrando quatro grupos de fatores principais:

  • Situação pessoal
  • Planejamento do negócio
  • Gestão do negócio
  • Capacitação do empreendedor em gestão empresarial

Ou seja, os motivos que levam um empreendedor a fechar a empresa antes de completar dois anos de existência podem variar desde problemas anteriores à abertura do negócio até falhas durante a gestão.

Confira abaixo 4 fatores que influenciam no fechamento prematuro das empresas, e que servirão de auxílio para que o empreendedor iniciante não cometa os mesmos erros:

1) Falta de um plano de negócio

Imagine um profissional que está desempregado há vários meses e não tem perspectivas de conseguir um novo emprego. Diante dessa situação, ele resolve abrir um negócio próprio. Após uma semana ele começa a compra e venda de perfumes.

Infelizmente as chances de que esse empreendedor tenha que fechar a empresa dentro de dois anos são muito altas, pois não houve planejamento algum sobre as atividades. Qual é seu público-alvo? Qual deve ser o valor de venda dos perfumes? Como ele pode divulgar os produtos?

A etapa de planejamento que antecede a abertura de uma empresa é tão importante quanto saber gerenciá-la após iniciadas as atividades. É nesse momento que o empreendedor consegue enxergar as melhores oportunidades de negócio e avaliar a viabilidade do seu projeto — antes mesmo de investir seu dinheiro.

No site/portal do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), você encontra dicas e conteúdos sobre empreendedorismo gratuitamente, e também instruções de como construir um plano de negócios.

2) Despreparo financeiro


Um grande erro que leva ao fechamento prematuro das empresas brasileiras é a falta de preparo financeiro. É preciso ser realista: uma empresa que está iniciando no mercado dificilmente conseguirá obter lucro nos primeiros meses -- e o empreendedor precisa estar preparado para lidar com esse momento de dificuldade antes de alcançar resultados e lucro.

Outra dica extremamente importante é não misturar sua conta pessoal com a conta da empresa. Divida todas as entradas e despesas em orçamentos e contas separadas. Se possível estipule um pró-labore (salário do empresário) e direcione este valor para conta pessoal. Desta forma conseguirá visualizar e planejar seu orçamento de acordo com a realidade.

3) Marketing ineficiente

Principalmente para uma empresa que ainda busca consolidar o seu lugar no mercado, o marketing é um aliado importante para aumentar a visibilidade e construir autoridade entre os clientes. Por esse motivo, o marketing ineficiente pode afetar os resultados de vendas desses negócios.

Hoje em dia as redes sociais são ferramentas indispensáveis de manutenção e captação de clientes devido ao fato de que, na maioria das vezes, é por elas que os clientes consultam a veracidade e qualidade da empresa, veem comentários de outras pessoas, engajamento social da empresa e até a relação dela com os clientes.

Certamente, já existem concorrentes atuando no mercado — mesmo que de forma indireta. Por esse motivo, estar antenado com marketing digital e saber se diferenciar das outras empresas, é muito importante para que um novo negócio consiga atrair clientes.

4) Ausência de metas e objetivos


Os objetivos para o futuro são o que movem uma empresa rumo ao crescimento. Na ausência de metas claras, qualquer resultado alcançado pode ser considerado satisfatório -- fazendo com que a empresa fique estagnada e não avance.

Se entender que tem perfil, disposição ou é de extrema necessidade, vá em busca de seus objetivos e empreenda, mas busque fazer isso com consciência de todos os desafios que podem surgir nesta jornada. Tente não se engajar somente pela necessidade ou por não querer mais receber ordens de um gestor.

Tenha em mente que empreender, é mais que vender algo ou prestar um serviço. É ter a capacidade de identificar problemas e oportunidades, desenvolver soluções, e investir recursos na criação de algo positivo para a sociedade. Portanto, busque fazer isso da melhor maneira possível.

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

Especialistas em finanças ajudam você a poupar e a escapar de erros comuns para quem quer construir um patrimônio. Tenha informações que auxiliam você a tomar decisões sobre investimentos e aproveite melhor as oportunidades disponíveis no mercado