PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Fusão de Lojas Americanas e B2W: é hora de comprar ou vender as ações?

Exclusivo para assinantes UOL Economia+

Camila Mendonça e Karin Salomão

Do UOL, em São Paulo

23/02/2021 15h37

As Lojas Americanas (LAME4) e a B2W (BTOW3) estudam uma possível fusão de seus negócios. Em comunicado divulgado na última sexta (19), as empresas disseram que a ideia é "maximizar a experiência do cliente em uma nova jornada de criação de valor". As duas companhias formaram um comitê especial independente para avaliar a fusão.

Com a notícia, as duas empresas ficaram na lista das que apresentaram alta no pregão de ontem (22) na Bolsa de Valores, em um dia em que o Ibovespa amargou queda de 4,87%, puxado pela Petrobras, cujas ações caíram mais de 20%. A B2W (BTOW3) fechou em alta de 1,15%, enquanto Lojas Americanas (LAME4) disparou quase 20%.

Depois da alta de ontem (22), as ações das duas empresas operam agora (14h46) em queda, de 4,28% para B2W e de 6,15% para a Lojas Americanas. O valor, no entanto, continua mais alto do que o de sexta-feira (19), antes do anúncio da possibilidade de fusão.

Para o mercado, a operação era esperada, uma vez que a Lojas Americanas detém 62,5% da B2W, que opera como sua subsidiária. Este é um dos motivos que torna a fusão positiva, segundo disse em relatório a XP Investimentos. "Não vemos um motivo claro para a B2W ser uma companhia separada de sua controladora neste momento, uma vez que acreditamos que a estratégia vencedora no segmento de ecommerce é oferecer um ecossistema mais amplo, que atue em toda jornada de compra do consumidor."

Unidas, as duas empresas devem apresentar um crescimento médio anual de 28% na receita líquida até 2023, segundo análise da XP. "Nós vemos a potencial transação como positiva, pois não apenas deve garantir uma melhor gestão estratégica da nova companhia como também deve permitir uma precificação mais justa das ações."

O UOL ouviu analistas para entender quais podem ser os próximos movimentos para os investidores. É o momento de comprar ou vender as ações de Lojas Americanas e B2W? Veja o que eles disseram.

O que fazer com as ações?

Em relatório, a XP Investimentos vê ganhos fiscais, de sinergia, simplificação e agilidade na fusão. Por isso, recomenda a compra.

Reiteramos nossa recomendação de compra para os dois papéis, com preço-alvo de R$ 121 por ação para BTOW3 e R$ 36 por ação para LAME4. Ainda reforçamos as Lojas Americanas como nossa preferência dentro do setor.
Marcos Nardini, Danniela Eiger e Thiago Suedt, analistas de varejo da XP

Analistas da Eleven Financial também recomendam a compra das ações das duas companhias, com preço-alvo de R$ 37 para Lojas Americanas (LAME4) e de R$ 132 para B2W (BTOW3).

Ressaltamos que a operação é positiva para ambas as empresas, que poderão desfrutar de uma integração ainda maior entre os canais físicos e digitais, além de sinergias operacionais que devem proporcionar uma rentabilidade superior aos ativos uma vez combinados.
Eric Huang e Tales Granello, analistas da Eleven Financial

Paloma Brum, analista de Investimentos na Toro, acredita que a multicanalidade tem sido um fator chave para o crescimento das empresas de varejo, porque requer melhorias na jornada de compra dos clientes e, por consequência, garante maior competitividade no mercado. "Por isso, a união dessas duas empresas tem o potencial de destravar muito valor para os seus negócios", afirma.

Ela recomenda as ações tanto para quem já tem posição e deseja aumentá-la, quanto para quem quer incluir as empresas na carteira.

Recomendamos a compra de ambas as ações (BTOW3 e LAME4) neste momento. Por um lado, caso a B2W Digital venha a ser a incorporadora na fusão, a companhia poderá ter seus resultados favorecidos, pois terá seus prejuízos de R$ 2,82 bilhões absorvidos pelas Lojas Americanas, além de desfrutar dos créditos tributários desta, na ordem de R$ 2 bilhões. Dessa forma, para quem já tem posição nos papéis, vale mantê-la.
Paloma Brum, analista de Investimentos na Toro

Luis Sales, estrategista da Guide, afirma que o movimento de fusão já era esperado desde que o Magazine Luiza começou a crescer mostrando que as operações online e offline juntas fazem mais sentido.

Caso essa fusão seja fechada, será positivo para as empresas, que podem ver suas ações se recuperarem em relação aos concorrentes. Recomendamos compra para as duas, mas no momento preferimos outras empresas do varejo. Apostamos em Mercado Livre e Magazine Luiza, por serem empresas mais consolidadas e mais fortes em tecnologia e logística.
Luis Sales, estrategista da Guide

Para Eduardo Guimarães, especialista de Ações da Levante Ideias de Investimentos, ainda não dá para dizer exatamente se é hora de comprar ou não, uma vez que ainda não foi definida a relação de troca dessa fusão. Segundo o analista, a fusão deve precificar as Lojas Americanas para cima. Nos últimos 12 meses, as ações da empresa subiram 9%, enquanto as da B2W registraram alta de 36%.

A gente não recomenda a posição de Lojas Americanas. Hoje, não temos na carteira a B2W, porque ela teve prejuízo, está queimando caixa e não conseguiu provar que o modelo funciona. Preferimos a Via Varejo e a Magalu. Quem tem as duas (LAME4 e BTOW3), recomendo esperar a relação de troca.
Eduardo Guimarães, especialista de Ações da Levante Ideias de Investimentos

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.