PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Ele entrou na Bolsa com R$ 500, e hoje dá dicas a 340 mil no YouTube

Fabrizio Gueratto, especialista em investimentos e criador do canal 1Bilhão Educação Financeira - Divulgação
Fabrizio Gueratto, especialista em investimentos e criador do canal 1Bilhão Educação Financeira Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes

Fernando Barbosa

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/10/2021 04h00

Cerca de R$ 500. Foi com essa quantia que Fabrizio Gueratto, 36, empresário e especialista em investimentos, começou a investir. Na época (o ano era 2004), as primeiras compras no mercado foram de ações da Petrobras, por um valor entre R$ 40 a R$ 50.

"Eu pensava que só milionário investia em ações, e eu estava lá, fazendo a mesma coisa que eles. Contei para amigos e parentes. Achava o máximo. Pensei ter encontrado a fórmula da Coca-Cola", afirma.

Gueratto também é conhecido por falar sobre educação financeira no YouTube. O seu canal na plataforma, o "1Bilhão Educação Financeira", soma 339 mil inscritos e milhões de visualizações. Espaço que, segundo ele, foi desenvolvido para levar entretenimento, dispensando um serviço de informação pura e simples.

Fabrizio Gueratto estará no próximo Guia do Investidor UOL para falar como escolher o melhor fundo imobiliário para você. O evento acontece no dia 26, às 11h, nas páginas do UOL, do UOL Economia e na página de Investimentos.

Por trabalhar com finanças, pegou gosto pelo tema

Formado em publicidade, ele conta que era dono de uma assessoria de imprensa quando começou as primeiras apostas no ramo de investimentos. Com o tempo e o gosto pelo tema, começou a atender contas de gestoras e corretoras de valores, e a ter ainda mais afinidade com o assunto.

"Como tinha relação com o mercado financeiro, havia uma certa segurança, principalmente emocional, para investir. No entanto, era um mercado muito novo, elitizado. O home broker estava nascendo", diz.

Gueratto afirma que, ao descobrir que poderia comprar ações da mesma forma que os endinheirados faziam, acreditou que poderia enriquecer rapidamente.

Com o tempo, veio o aprendizado

A aposta na Petrobras não era à toa. A companhia estava em ascensão e começava a ingressar no cenário de 'boom' das commodities.

"Na época, a Petrobras era uma boa empresa, a maior petrolífera do país. Eu pensava que era difícil. Depois surgiram a Lava Jato e a interferência do governo [da ex-presidente Dilma Rousseff]", diz Gueratto, acrescentando ter aprendido lições sobre o episódio.

Ele compreendeu que os investimentos são apenas um caminho para a construção de patrimônio, e não a estratégia fundamental.

"Se você tem R$ 2.000 investidos e rentabilidade de 100% ao ano [hipoteticamente], no final você terá R$ 4.000. Supondo que dê tudo certo, não é uma quantia que vai resolver a sua vida. O investimento potencializa a construção de riqueza. Mas é o trabalho ou o empreendedorismo, aliado ao investimento, que vai contribuir para os seus objetivos", afirma.

Hoje, além de especialista e youtuber, ele também dá aulas nos cursos de MBAs da Usininos e da escola de negócios Trevisan.

Esse melhor entendimento do mercado o levou a compreender que era necessário montar um portfólio, e que era preciso adotar uma estratégia para a aquisição de novos ativos. Assim, optou pela compra de blue chips — ações das empresas mais cobiçadas da Bolsa.

Uma importante observação: por diversificação, entenda a compra de diferentes produtos do mercado financeiro.

"Ter 10 tipos de ações não é diversificar. Diversificar é ter ações, comprar dólar, fundos de ouro e criptomoedas. Ter apenas criptomoeda é uma aposta, e não estratégia. Agora, ter criptomoeda como parte da carteira é, sim, estratégia", diz o especialista, mencionando esses investimentos apenas como exemplos.

Experiência e visão de longo prazo

Fabrizio Gueratto tinha apenas 19 anos quando decidiu investir. Por isso, é natural que, em um período de quase 20 anos, ele adquirisse experiência e aprendesse com momentos delicados vivenciados de perto. Foram os casos da crise econômica desencadeada pela quebra do banco Lehman Brothers, da ruína da OGX (do empresário Eike Batista) e, agora, com a pandemia de covid-19.

"Tem uma parte que nenhum estudo vai substituir, que é a vivência. As pessoas estão cada vez mais ansiosas e propensas a cometer erros", afirma.

Nessa trajetória, ele conta que o mais importante não foi contabilizar os prejuízos ou ganhos —que não revela. Mas refletir sobre o foco e o prazo, bem como evitar ter uma postura imediatista. Esses comportamentos, diz, o ajudaram em momentos de incertezas.

"A Bolsa caiu por seis anos, e a maioria mais perdeu do que ganhou. Depois, subiu como um foguete. O grande jogo não é se você perdeu no momento, mas em como você está no longo prazo. Ser sócio de grandes empresas com certeza é um bom negócio", diz o especialista.

Dica para iniciantes

Para quem deseja dar os primeiros passos e conhecer mais o mercado, Gueratto diz que é possível começar com R$ 1.000 investindo em renda fixa, como debêntures (títulos de dívida), ou mesmo ETFs (fundos de investimento que acompanham algum índice).

"Aqui, o foco não é rentabilidade, mas é na educação e no aprendizado. É interessante colocar muito pouco dinheiro em diversos ativos, para entender como o seu emocional se comporta", afirma.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

O Guia do Investidor UOL é uma série de eventos quinzenais e gratuitos que apresenta todos os passos para quem quer aprender a investir e entender melhor sobre o mercado financeiro. Veja as histórias inspiradoras e dicas de especialistas para multiplicar o seu dinheiro