Bolsas

Câmbio

Amazon gera irritação na Índia com sandália com imagem de Gandhi

Saritha Rai

(Bloomberg) -- A Amazon está tendo dificuldades para mostrar que entende o mercado indiano.

A gigante do varejo dos EUA foi alvo de uma chuva de críticas nas redes sociais em duas oportunidades nos últimos dias. Primeiro, foi forçada a pedir desculpas e retirar do catálogo capachos que ostentavam a bandeira do país depois que o ministro de Relações Exteriores indiano ameaçou tomar uma medida diplomática. Depois, no domingo, a Secretaria de Assuntos Econômicos da Índia publicou uma série de tuítes contra a empresa americana devido à comercialização de sandálias com imagens do ícone dos direitos civis Mahatma Gandhi.

A Amazon, que se vendeu como uma empresa "local", não pode se dar ao luxo de menosprezar essas ameaças. A Índia é o mercado internacional de mais rápido crescimento e de maior importância para a empresa pelo fato de ela não conseguido avançar na vizinha China. O CEO Jeff Bezos comprometeu US$ 5 bilhões em investimentos para fazer frente a rivais locais como a Flipkart.

"Amazon, é melhor se comportar. Deixe de ser irreverente com os símbolos e ícones indianos. Qualquer indiferença será por sua conta e risco", tuitou o secretário de Assuntos Econômicos da Índia, Shaktikanta Das, em resposta à questão das sandálias de US$ 16,99.

A Amazon Índia não respondeu a um e-mail em busca de comentário sobre o calçado, que desde então desapareceu de seu site.

Os dois incidentes representam um grande constrangimento para uma empresa conhecida por suas abordagens locais inovadoras. A companhia está investindo fortemente em conteúdo de Bollywood para o Amazon Prime, recrutando vendedores com carrinhos que servem "chai", ou chá, e conectando supermercados a consumidores locais para a venda de itens básicos do cotidiano. Em 2014, durante uma visita, Bezos ia fazer uma foto posando junto com um elefante. Como a Amazon não conseguiu permissão para o animal, que é reverenciado localmente, Bezos subiu em um caminhão com enfeites coloridos vestido com uma jaqueta bandhgala indiana.

São extravagâncias desse tipo que estão ajudando a Amazon a diminuir a diferença em relação à sua rival mais próxima, a Flipkart Online Services. Este também pode ser o motivo pelo qual os políticos indianos se ofendem quando a Amazon entra em conflito com as normais culturais locais -- mesmo quando ocorrem fora do país.

A ministra de Relações Exteriores, Sushma Swaraj, foi uma das que reagiram duramente à venda de capachos com as três cores da Índia no website canadense da Amazon. Exigindo que a loja on-line interrompesse a venda do produto, Swaraj tuitou para seus 7 milhões de seguidores na semana passada: "Se isso não for feito imediatamente nós não concederemos visto indiano a nenhum funcionário da Amazon. Além disso, vamos cancelar os vistos emitidos anteriormente."

O chefe da Amazon na Índia, Amit Agarwal, pediu desculpas e os tapetes foram retirados do website.

Das disse que tuitou para mostrar sua indignação como cidadão e que o país continua comprometido com as reformas econômicas, com a facilitação dos negócios e com a abertura do comércio. "Às vezes fico sensível quando nossos ícones são envolvidos", disse ele, no domingo, em mensagem dividida em três tuítes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos