IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Reforma da Previdência


Centrão discute reforma desidratada que não reeleja Bolsonaro, diz Paulinho

Roberto Casimiro/FotoArena/Estadão Conteúdo
Paulinho da Força (SD), deputado federal e líder da Força Sindical, em ato pelo Dia do Trabalhador (centro) Imagem: Roberto Casimiro/FotoArena/Estadão Conteúdo

Cristian Favaro, Pedro Venceslau e Ricardo Galhardo

São Paulo

2019-05-01T11:47:00

2019-05-01T15:12:52

01/05/2019 11h47Atualizada em 01/05/2019 15h12

O líder da Força Sindical, Paulinho da Força, afirmou que os partidos que se reúnem no grupo conhecido como "Centrão" discutem o apoio a uma reforma da Previdência que não garanta a recondução de Jair Bolsonaro ao poder. "O que estamos discutindo dentro do Centrão é que precisamos fazer uma reforma que não garanta a reeleição de Bolsonaro", disse o deputado federal pelo Solidariedade.

"R$ 800 bilhões garantem, de cara, e reeleição dele. Se dermos 800 (bilhões de reais) como disse ele, significa que nos últimos três anos dele (Bolsonaro, na Presidência), há (R$) 240 bilhões ao ano para gastar. Eu acho que temos de ter (economia) em torno de (R$) 500 bi. (R$) 600 (bilhões) seria o limite para essa reforma", defendeu, durante evento das centrais sindicais, em São Paulo, nesta quarta-feira, 1º de maio, Dia do Trabalho.

Segundo Paulinho, com uma reforma desidratada se garante a chance de outros partidos disputarem a Presidência em 2022. "Com esse discurso, tenho certeza que a gente traz todo mundo do Centrão, porque ninguém quer a reeleição de Bolsonaro", afirmou o deputado.

Entenda a proposta de reforma da Previdência em 10 pontos

UOL Notícias

Mais Reforma da Previdência