PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Exoneração de diretor do Banco Central é formalizada; Mello pediu saída do órgão

15.fev.2018 - João Manoel Pinho de Mello era diretor do Banco Central - Pedro Ladeira/Folhapress
15.fev.2018 - João Manoel Pinho de Mello era diretor do Banco Central Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Luci Ribeiro

Em Brasília

11/02/2022 08h11Atualizada em 11/02/2022 08h51

O Banco Central do Brasil publicou no Diário Oficial da União (DOU) a exoneração, a pedido, de João Manoel Pinho de Mello do cargo de diretor do órgão. A exoneração está formalizada em edição extraordinária da publicação oficial desta quinta-feira, 10, e é retroativa a 9 de fevereiro.

Até a saída de Pinho de Mello, a diretoria colegiada do Banco Central estava com um membro a menos. Fabio Kanczuk, que era diretor de Política Econômica, deixou o órgão no fim de seu mandato, em 31 de dezembro. Pinho de Mello também sairia na mesma data, mas estendeu seu mandato até a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de fevereiro, diante do adiamento da sabatina dos novos indicados aos cargos. Inicialmente, a sabatina ocorreria no dia 14 de dezembro, mas agora está marcada para a próxima semana, na terça-feira, 15 de fevereiro.

A sabatina será feita pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE). Serão analisadas as indicações dos economistas Diogo Guillen, para a Diretoria de Política Econômica, no lugar de Kanczuk, e Renato Dias de Brito Gomes, para a Diretoria de Organização do Sistema Financeiro e Resolução, no lugar de Pinho de Mello.

Segundo o presidente da comissão, senador Otto Alencar (PSD-BA), a votação das indicações no plenário deve ocorrer no mesmo dia da deliberação na comissão, à tarde.