Bolsas

Câmbio

Nem tudo é alegria: Macri enfrenta a primeira grande manifestação de seu governo

SÃO PAULO - Desde que entrou no poder, em dezembro, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, tem visto uma grande euforia com algumas medidas que anunciou. Porém, nesta  quarta-feira (24), o governante precisou enfrentar sua primeira grande paralisação desde que assumiu o mandato.

Milhares de funcionários públicos protestaram pelo país, reivindicando que o novo presidente interrompa cortes na folha de pagamento e contrate de volta empregados públicos demitidos nos últimos dois meses.

Com um slogan de  corte de gastos desnecessários, o governo afirma que 6.200 funcionários foram demitidos.  Por outro lado,  os sindicatos dizem que as demissões atingiram cerca de 20 mil argentinos, sendo que parte foi recontratada.  

Os jornais locais enfatizaram que as manifestações ocorreram após a entrada em vigor de uma regra que restringe o bloqueio de ruas durante os protestos, determinando que o trajeto da manifestação seja previamente informado às autoridades e vetando o bloqueio total das avenidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos