Topo

Mídia e Marketing


Ambev consolida Skol como celeiro de inovações; relembre ações da marca

Divulgação
Imagem: Divulgação

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/12/2018 04h00

O ano de 2018 consolidou a Skol como grande celeiro de inovações da Ambev. A terceira marca mais valiosa do Brasil, segundo ranking da Interbrand, promoveu importantes lançamentos no seu portfólio de produtos --e em sua comunicação. 

Em janeiro, lançou edições limitadas de dois novos sabores de sua submarca 'Beats' --a Ambev não abre dados sobre suas vendas específicas, mas a categoria tem sido uma das apostas da companhia. Em junho, apresentou a 'Hops'. Agora, em dezembro, anunciou o lançamento da sua versão Puro Malte

A Skol é a 6ª marca de cerveja mais consumida no mundo. Segundo a consultoria Euromonitor, é a marca mais vendida no país, com quase 30% de participação no mercado brasileiro de cervejas. 

"Estamos trabalhando para que Skol seja a marca que desafia o mercado, com novos ingredientes, novos sabores e novas embalagens. Este é o nosso direcionamento", afirmou Maria Fernanda Albuquerque, diretora de marketing da marca.

Histórico de lançamentos

As novidades se somam a uma série de inovações realizadas pela Skol desde que foi lançada no Brasil, em 1967. Ela ostenta o posto de ter sido a primeira cerveja a ter seu produto em lata no país, em 1971 --e, dezoito anos depois, ter colocado nas prateleiras nacionais as primeiras latas de alumínio. 

Em 1993, lançou a garrafa long neck, com tampa de rosca. Em 2002, lançou a Skol Beats, uma bebida mais doce, com teor alcoólico ligeiramente mais alto do que uma cerveja tradicional. 

Em setembro de 2006, apresentou a Skol Lemon, que ficou apenas um ano no mercado. No ano de 2010, foi a vez do lançamento da Skol 360°, que prometia ser um produto mais leve --e que acabou não emplacando entre os consumidores. Em 2015, lançou sua primeira 'puro malte', a Ultra, voltada para consumidores que praticam atividade física. 

Assista ao comercial Skol 306°:

"Há mais de 20 anos a marca fala de inovação, abordando o tema sempre de formas diferentes. A Skol tem a obrigação de apostar em novidades. As marcas que arriscam mais têm mais chance de sucesso, e, claro, de erro. No final das contas, todo mundo quer que as novidades apresentadas pela Skol sejam sempre gigantescas. Estamos num constante aprendizado sobre isso também", declarou Maria Fernanda.

Comunicação para todos os gostos

Em 2015, a Skol teve que lidar com um problema em algumas de suas peças de comunicação às vésperas do Carnaval. Anúncios de mídia exterior da marca mostravam frases como "Topo antes de saber a pergunta" e "Esqueci o não em casa". E justamente esta última causou um grande rebuliço nas redes sociais da marca, depois que duas amigas escreveram "e trouxe o nunca" no anúncio, levantando acusações de apologia ao estupro. 

A marca entendeu o recado, substituiu as peças "por respeito à diversidade de opiniões" e desde então passou a se envolver de forma mais enfática em causas. "A mudança na comunicação da marca já estava em discussão. Ela iria acontecer de qualquer forma. A gente queria falar sobre isso, e estávamos preparando a companhia para essa mudança", afirmou Maria Fernanda. A maior iniciativa nesse rumo da mudança foi o apoio, a partir de 2016, à Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Desde então, a Skol lançou diversas iniciativas com temas que festejam as "diferenças" entre as pessoas, além de comerciais com atores com diferentes tipos físicos e etnias. 

Em 2017, lançou uma ação que promoveu a troca de cartazes da marca que possuíam fotos de mulheres retratadas como objeto sexual, por desenhos feitos por oito ilustradoras que recriaram alguns pôsteres antigos de Skol "sob um novo olhar". 

Assista ao comercial Reposter Skol:

"Também recebemos críticas desta ação. E sabemos que isso vai ser normal --e que pode até crescer daqui para frente. Vamos sofrer com a polarização. Algumas marcas vão se expressar de forma diferente. Mas este é o posicionamento de Skol", disse a executiva.

Em 2017, a marca lançou um comercial de fim de ano que pretendia estimular o consumidor a se renovar para o ano que iria começar. O coro coletivo montado no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, contou com Vivi Seixas, filha de Raul Seixas, e dezenas de fãs do cantor, num coro coletivo do clássico "Metamorfose Ambulante". Para a companhia, era o fechamento de um ciclo que marcou uma metamorfose de Skol.

Assista ao comercial Metamorfose Ambulante:

Marcas aliadas

Em 2018, a Skol foi além: fundou o movimento Marcas Aliadas, formado por empresas que apoiam a causa LGBTQ+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e +, que abrange pansexuais, assexuais, multissexuais e outras denominações). Na iniciativa, cada marca doou uma letra de seu logo (o 'L' de Skol, o 'G' do Burger King, o 'B' de Lacta Bis, o 'T' de Trident e o 'Q' de Quem disse, Berenice?) e verbas em dinheiro para as ONGs Coletivo Não Desculpo, Casinha, TODXS e Coletivo Transformação

Hoje, a iniciativa conta com o apoio de outras empresas --GNT, Itaú, Bradesco, Next, Mercado Livre, Vult, Accor Hotels, Dotz, Vivo, Olla e Leroy Merlin. 

Divulgação
Manifesto Drink Right, F*** Right Imagem: Divulgação
No mês passado, a Skol Beats lançou um manifesto para alertar os jovens sobre os perigos do consumo excessivo de bebidas alcoólicas --principalmente na hora do sexo. Com o nome de "Drink Right, F*** Right -Quem bebe menos se diverte mais" ("Beba Direito, F*** Direito, em tradução livre), a iniciativa conta com um comercial, site com dicas sobre consumo consciente, ações com artistas e influenciadores e ativações em bares de São Paulo. 

"Skol é sobre quebrar paradigmas. Nosso desafio para 2019 é construir muito mais uma família em torno da Skol do que efetivamente uma marca pilsen, sendo concisa", disse Maria Fernanda.

Na mensagem de fim de ano da marca, a Skol lembra que é bom terminar as coisas, mas "que é bom recomeçar" --e pede que as pessoas pensem positivo em 2019. 

Assista ao comercial:

Mais Mídia e Marketing