IPCA
0.43 Fev.2019
Topo

Inflação é de 0,15% em dezembro e fecha 2018 em 3,75%, dentro da meta

Do UOL, em São Paulo

2019-01-11T09:00:46

2019-01-11T10:02:53

11/01/2019 09h00Atualizada em 11/01/2019 10h02

A inflação oficial de 2018 foi de 3,75%, acima dos 2,95% de 2017, mas dentro da meta do governo. Para 2019, economistas consultados pelo Banco Central estimam inflação de 4,01%.

Em dezembro, a inflação foi de 0,15%, acima do resultado de novembro (-0,21%), mas a menor para o mês desde o início do Plano Real, em 1994.

A inflação oficial é medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) e foi divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (11). 

A meta do governo era manter a inflação em 4,5% no ano, com uma tolerância de 1,5 ponto para cima ou para baixo, ou seja, podendo variar entre 3% e 6%.

Tomate, gasolina e conta de luz entre 'vilões' do ano

As despesas que mais influenciaram a inflação no ano passado foram:

  • Habitação: +4,72%
  • Transportes: +4,19%
  • Alimentação e Bebidas: +4,04%

Alguns dos "vilões" de preço foram:

  • Tomate: +71,76%
  • Cebola: +36,71%
  • Batata-inglesa: +23,76%
  • Passagem aérea: +16,92%
  • Plano de saúde: +11,17%
  • Conta de luz: +8,70%
  • Gasolina: +7,24%
  • Ônibus urbano: +6,32%

Após queda de preço em 2017 graças à safra recorde, alimentos e bebidas ficaram mais caros em 2018, com efeito da safra cerca de 5% menor e da greve dos caminhoneiros no fim de maio.

A expectativa de analistas consultados pelo BC era que a inflação terminasse 2018 em 3,69%. Já o governo do ex-presidente Michel Temer havia previsto alta de 4,3% nos preços.

Alimentos puxaram inflação em dezembro

A principal influência sobre a inflação de dezembro foram os alimentos e bebidas (0,44%), responsáveis por quase 3/4 do índice do mês. Por outro lado, houve queda nos preços de transportes (-0,54%) e habitação (-0,15%).

Alguns produtos passarem a custar menos em dezembro. Por exemplo:

  • leite longa vida: -7,73%
  • combustíveis: -4,25%
  • pão francês: -1,31%
  • arroz: -1,19%

Mas outros produtos subiram bastante:

  • passagem aérea: +29,12%
  • cebola: +24,03%
  • batata-inglesa: +20,05%
  • feijão-carioca: +12,98%
  • frutas: +3,11%
  • carnes: +2,04%

Juros x inflação

Para tentar controlar a inflação, o Banco Central pode usar a taxa de juros. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar os preços a cair. Quando a inflação está baixa, o BC derruba os juros para estimular o consumo.

Em dezembro, o Comitê de Política Monetária do BC decidiu manter a taxa de juros em 6,5% ao ano, menor nível da história (o Copom foi criado em 1996).

Por que a inflação no nosso bolso parece maior do que a inflação oficial?

UOL Notícias

Mais Economia