IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Com distribuição de lucro, FGTS rende mais em 2018 que Tesouro e poupança

Ricardo Marchesan

Do UOL, em São Paulo

07/08/2019 04h00

O dinheiro no FGTS sempre rendeu menos. Mas agora, com as mudanças propostas pelo governo Bolsonaro, isso mudou. Pelo menos com relação ao dinheiro que ficou no fundo no ano passado.

Com a distribuição de 100% do lucro do FGTS, proposta pelo governo, o rendimento anual do fundo supera investimentos tradicionais de renda fixa em 2018, como CDB, Tesouro e poupança. Os cálculos são do economista Alexandre Cabral, professor do Ibmec de São Paulo. O FGTS deu lucro de R$ 12,2 bilhões em 2018, e isso será distribuído aos trabalhadores com conta no fundo (em proporção com o saldo que cada um tem).

Segundo o Ministério da Economia, a rentabilidade do fundo de garantia em 2018 foi de 6,18%. Esse percentual é referente ao rendimento anual do fundo (de 3% ao ano mais TR, que está zerada), somando à distribuição do lucro. Para comparação, a poupança, investimento preferido dos brasileiros, rendeu cerca de 4,55% no ano passado.

Veja na tabela abaixo como ficou o rendimento do FGTS e uma simulação de quanto um investimento hipotético de R$ 1.000 rendeu no mesmo período em outros produtos de renda fixa, de acordo com os cálculos do economista.

Lucro ainda precisa ser aprovado

O FGTS passou a dividir seu lucro com os trabalhadores em 2017, durante o governo do ex-presidente Michel Temer. Mas a divisão foi limitada a 50% do lucro. Em julho, o governo Bolsonaro mudou essa regra e determinou que 100% do lucro seja distribuído entre os trabalhadores.

Têm direito a essa participação todas as contas do FGTS que tinham algum saldo em 31 de dezembro de 2018, segundo o Ministério da Economia.

Esse rendimento do FGTS em 2018 ainda precisa ser aprovado pelo Conselho Curador do FGTS. "A Caixa apresentou ao Conselho Curador do FGTS as demonstrações contábeis de 2018. O Conselho deliberará sobre essas demonstrações em meados de agosto", afirmou o Ministério, em nota. "Caso aprovado na forma proposta pela Caixa, o resultado a ser distribuído é de R$ 12,2 bilhões."

Rendimento maior não justifica deixar no FGTS, diz professor

Junto com a medida de distribuição de 100% dos lucros, o governo anunciou que será possível sacar até R$ 500 por conta do FGTS neste ano e, a partir do ano que vem, será inaugurada uma nova modalidade, o "saque aniversário", em que o trabalhador poderá retirar uma parcela do fundo todo ano. Por outro lado, ele não poderá sacar o valor integral em caso de demissão sem justa causa, apenas os 40% de multa do fundo. As demais possibilidades para saque do fundo continuam inalteradas.

Para o professor Alexandre Cabral, porém, o rendimento maior do FGTS no ano passado não justifica, necessariamente, deixar o dinheiro parado lá, caso o investidor espere que isso se repita em 2019.

"Eu tiraria, porque a diferença [no rendimento] é pouca, e [com o saque] você fica com a liberdade [para movimentar o dinheiro]", afirmou. Além disso, não há garantia de lucro em outros anos.

Especialistas em educação financeira ouvidos pelo UOL disseram que optar pelo saque aniversário pode ser vantajoso dependendo da situação econômica, do perfil e dos objetivos de cada pessoa (clique aqui para saber mais).

Ministro da Economia fala sobre a liberação do saque do FGTS

UOL Notícias

Mais Economia