PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Bolsonaro compartilha vídeo de Zema citando dificuldade em pagar servidores

Presidente Jair Bolsonaro em Brasília -
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília

Do UOL, em São Paulo

18/05/2020 07h50

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), compartilhou na manhã de hoje em suas redes sociais um vídeo do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), relatando dificuldades para pagar servidores e fazer o repasse aos outros poderes.

A ação ocorre em meio à expectativa quanto ao possível veto presidencial a um trecho do projeto de socorro aos Estados e municípios que abre a possibilidade de aumento salarial para o funcionalismo. Bolsonaro tem até o dia 27 de maio para sancionar o projeto.

Na legenda do post de hoje, o presidente escreveu: 'A dificuldade do governador de Minas Gerais para pagar servidores e repassar recursos para os outros Poderes".

No vídeo, referente a uma entrevista na última sexta-feira, fala sobre as dificuldades em relação ao pagamento do funcionalismo.

"Não haverá recursos para pagar integralmente a folha do funcionalismo e também o repasse aos poderes. A lei me manda fazer as duas coisas, mas se a lei resolvesse o problema de caixa, eu ficaria satisfeito. Mesmo com todo o contingenciamento que nós fizemos, como eu disse, ainda não é suficiente", disse Zema.

Em outro trecho, Zema diz que não pode ocorrer diferenças gritantes em relação aos direitos de cada servidor.

"Tenho mantido contato com os outros Poderes para que possamos construir uma solução em conjunto. Se é funcionário publico, na minha opinião, todos têm seus direitos assegurados. Não podemos ter funcionário público de primeira, segunda ou terceira categoria. Todos eles são funcionários públicos. Uma das coisas que eu aprendi, e faço questão de exercitar, é que ninguém é superior a ninguém", disse o governador.

Na última semana, ao falar sobre os efeitos da pandemia do novo coronavírus na economia, Bolsonaro chegou a dizer que "faltaria para pagar servidor público". Porém, ele não se referiu diretamente ao projeto que abre a possibilidade de aumento ao funcionalismo.

Economia