PUBLICIDADE
IPCA
+0,31 Abr.2021
Topo

Brasil foi derrubado e se levantou, diz Guedes após recorde na arrecadação

Ministro da Economia, Paulo Guedes, comemora resultados da arrecadação de março e do 1º trimestre - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Ministro da Economia, Paulo Guedes, comemora resultados da arrecadação de março e do 1º trimestre Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo*

20/04/2021 16h24Atualizada em 20/04/2021 16h24

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje que os resultados da arrecadação de março e do 1º trimestre de 2021 mostram que "o Brasil foi derrubado pela pandemia e se levantou". A declaração foi dada em entrevista coletiva para analisar os números divulgados hoje pela Receita Federal.

Em março, a arrecadação federal registrou crescimento real de 18,5% em comparação com o mesmo período do ano passado. No acumulado dos três primeiros meses do ano, a arrecadação avançou 5,64%, a R$ 445,9 bilhões, valor recorde para o período.

"Superamos as melhores expectativas de arrecadação de impostos. Em março, registramos R$ 137,9 bilhões em relação ao ano passado e o trimestre chegou a R$ 445,9 bilhões, aumento real de quase 6% sobre o primeiro trimestre de 2020", comemorou Guedes.

"Tivemos os melhores desempenhos arrecadatórios já registrados na série histórica com aumentos reais expressivos".

Segundo o ministro, os resultados mostram a recuperação de todos os setores da economia, até mesmo o comércio, um dos mais atingidos pela pandemia do novo coronavírus.

"Por um lado, o nível da arrecadação prova o avanço da produção. Por outro lado, os índices da atividade econômica superam as expectativas e, ainda de outro lado, o ritmo de geração de empregos na economia formal mostra que o Brasil foi derrubado pela pandemia, se levantou e se recuperou em V, registrando um ritmo expressivo no 1º trimestre", afirmou Guedes.

A chamada em "V" significa que a economia cai e sobe rápido, como o desenho da letra. Uma recuperação em "U" seria mais lenta, por exemplo.

Ainda segundo o ministro da Economia, a economia brasileira vai manter o ritmo de crescimento desde que tenha a imunização em massa da população contra a covid-19. "Acredito que vamos entrar no 2º semestre com outra visão das possibilidades do país e um ritmo de crescimento bem mais forte e com a saúde da população preservada".

A melhor política fiscal é vacina, vacina, vacina. Temos que garantir retorno seguro ao trabalho.
Paulo Guedes, ministro da Economia

Para o ministro, os programas lançados pelo governo, como o auxílio emergencial e crédito para pequenas empresas, foram essenciais para "atravessar a queda de 4,1% do PIB (Produto Interno Bruto) de 2020".

"Esse resultado de recuperação forte mostra uma enorme capacidade de adaptação das empresas brasileiras em meio ao tusunami da pandemia", disse Guedes. "As maiores empresas, listadas na Bolsa, conseguiram se recuperar e se recompor, registrando aumento de receita, redução de custos e aumento de lucros".

*Com informações da Reuters