PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Agronegócio

Nas redes sociais, governo parabeniza agricultores com foto de homem armado

No ano passado, Comissão Pastoral da Terra registrou um número recorde de conflitos no campo no Brasil - Reprodução/Twitter
No ano passado, Comissão Pastoral da Terra registrou um número recorde de conflitos no campo no Brasil Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

28/07/2021 10h47Atualizada em 28/07/2021 12h28

A Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) do governo federal, em virtude do Dia do Agricultor, veiculou no Twitter uma postagem de homenagem aos agricultores em que, na foto utilizada para o post, é possível visualizar um homem com uma espingarda sobre os ombros.

No ano passado, o número de conflitos no campo bateu recorde no Brasil. Ao todo, foram registradas 2.054 ocorrências, envolvendo quase 1 milhão de pessoas, segundo levantamento da CPT (Comissão Pastoral da Terra), ligada à Igreja Católica.

O número é o maior já registrado desde 1985, ano em que o levantamento começou a ser realizado pela Comissão Pastoral da Terra, segundo a própria entidade.

A maioria dos conflitos no campo envolveu a opressão de povos originários, quilombolas e trabalhadores rurais sem-terra. Dentre os casos registrados no ano passado e levantados pela entidade, ocorreram 18 assassinatos — e em sete deles as vítimas eram indígenas.

Segundo comunicado divulgado na época do lançamento do levantamento, no fim de maio, o número de conflitos por terra no Brasil apresenta tendência de alta desde 2016, mas disparou de vez desde que Jair Bolsonaro (sem partido) tomou posse como presidente.

Detalhes da publicação

A foto utilizada pela Secom no post em comemoração do Dia do Agricultor pode ser encontrada em bancos de imagens na internet. Em um deles, o Getty Images, ela é descrita como uma representação da silhueta de um caçador, e não de um trabalhador do campo.

Na publicação no Twitter, a Secom destacou que os agricultores "não pararam durante a crise da covid-19 e garantiram a comida na mesa de milhões de pessoas no Brasil e ao redor do mundo".

Na sequência, a secretaria afirmou que o governo federal "conseguiu reduzir a invasão de terras e está melhorando a infraestrutura das estradas, o que reduz os custos de transporte dos alimentos".

"Além disso, o presidente Jair Bolsonaro estendeu a posse de arma do proprietário rural a toda a sua propriedade", completou o órgão, referindo-se a um projeto de lei sancionado em 2019.

PUBLICIDADE

Agronegócio