PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Cotações

Bolsa cai quase 4% e dólar vai a R$ 5,32 após fala golpista de Bolsonaro

Do UOL, em São Paulo

08/09/2021 09h23Atualizada em 08/09/2021 16h15

A Bolsa caía quase 4%, e o dólar operava em alta na tarde de hoje (8), após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ameaçar desobedecer decisões do STF (Supremo Tribunal Federal), em discursos de tom golpista nos atos de 7 de setembro, realizados em São Paulo e em Brasília.

Por volta das 16h15, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, caía 3,53%, a 113.783 pontos, e o dólar comercial subia 2,72%, a R$ 5,318 na venda.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Novos ataques de Bolsonaro ao STF

Operadores do mercado estão elevando a cautela após os novos ataques de Bolsonaro ao STF.

Na manhã de ontem, na capital federal, Bolsonaro participou de um ato, com discurso abertamente golpista, em que ameaçou o presidente do STF, Luiz Fux.

À tarde, na capital paulista, o presidente declarou abertamente que não respeitará "qualquer decisão" do ministro Alexandre de Moraes, incitando seus apoiadores contra o STF. O mandatário ainda xingou o magistrado de "canalha" e pediu sua saída diante de cerca de 125 mil pessoas presentes na Avenida Paulista, segundo a Polícia Militar.

Participantes dos atos pediam fechamento do STF, intervenção militar e voto impresso.

Na avaliação de juristas consultados pelo UOL, ao declarar abertamente que não cumprirá "qualquer decisão" de Moraes, Bolsonaro comete crime de responsabilidade por desrespeitar os outros Poderes.

Ambiente pode ficar ainda mais tenso

Um possível impeachment do presidente Jair Bolsonaro já passou a ser discutido por diversos partidos que até o momento não fazem oposição sistemática ao governo, mas que condenaram os discursos de Bolsonaro no dia 7 de Setembro.

Os eventos de terça-feira mostram que Bolsonaro "tem ainda bastante apoio popular e continua sendo personagem importante no cenário político/eleitoral", mas, "por outro lado, o ambiente institucional deve ficar ainda mais tenso", escreveram analistas da Genial Investimentos.

"O resultado será de mais incerteza e volatilidade e, provavelmente, menos crescimento e mais inflação", afirmaram.

Esse ambiente tenso prejudica ainda mais o desempenho da moeda brasileira. O clima no exterior também estava cauteloso em meio a temores de desaceleração do crescimento econômico, enquanto os investidores monitoravam as perspectivas para o estímulo do Federal Reserve, do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco do Povo da China.

Para os analistas do Banco Original, o tamanho das manifestações "traz pouca informação adicional às pesquisas eleitorais, que já apontam para um pleito acirrado. Além disso, a agenda de reformas fica comprometida com essa antecipação".

Este conteúdo foi gerado pelo sistema de produção automatizada de notícias do UOL e revisado pela redação antes de ser publicado.

Com informações da Reuters

PUBLICIDADE

Cotações