PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

ANS pede explicações a Amil sobre venda da operadora e planos individuais

A notificação foi enviada pelo órgão na última quarta (26) - Divulgação/Amil
A notificação foi enviada pelo órgão na última quarta (26) Imagem: Divulgação/Amil

Colaboração para o UOL

28/01/2022 11h38Atualizada em 28/01/2022 11h38

A ANS (Agência Reguladora de Planos de Saúde do Brasil) enviou notificação, na última quarta-feira (26), à operadora Amil para pedir explicações sobre a transferência da carteira de planos individuais à APS (Assistência Personalizada à Saúde) e sua saída da controladora norte-americana United Health.

O envio da notificação foi noticiado pela coluna de Lauro Jardim, em O Globo, e confirmada pelo UOL. "A Agência atua na defesa do interesse público e monitora o setor de saúde suplementar de forma permanente. Sendo assim, a reguladora solicitou à operadora posicionamento a respeito de matérias veiculadas pela imprensa mencionando a possível saída da United Health, controladora do Grupo Amil, do Brasil", disse o órgão, por meio de nota.

A Amil apenas afirmou que "responderá à Agência Nacional de Saúde Suplementar no prazo determinado."

A APS é controlada pela própria Amil e, segundo o colunista, está muito perto de ser vendida ao fundo Fiord Capital, fundado há dois meses pelo sérvio Nikola Lulik. Porém, ainda não há qualquer documento assinado.

Já sobre a saída da United Health do Brasil, que culminaria na venda da Amil, essa possibilidade não estaria sendo avaliada.

Ainda de acordo com O Globo, as negociações estão em curso para venda dos 15 hospitais e do plano de saúde de empresas, com a permanência da United Health no negócio, mas com participação minoritária. Os dois mais fortes candidatos desses ativos são a Rede D'Or e o grupo Dasa.

Procon-SP acompanha

O Procon-SP vai acompanhar a transferência dos contratos de planos de saúde da Amil Assistência de Saúde Médica Internacional para a A.P.S Assistência Personalizada à Saúde. Depois de terem sido notificadas para explicar a operação, as operadoras informaram que não haverá prejuízos para os beneficiários.

Segundo o Procon-SP, apesar dessa resposta, as operadoras não prestaram todos os esclarecimentos de forma direta. Pelo menos 300 mil usuários de planos de saúde individuais e familiares da Amil que residem em São Paulo, no Rio de Janeiro e Paraná passam a ser atendidos pela operadora A.P.S. a partir deste mês.

A notificação pedia esclarecimentos sobre as medidas adotadas para a manutenção integral do atendimento e dos valores dos planos (contratos) e se foi estipulado prazo mínimo para a ocorrência de redução, redimensionamento, descredenciamento dos prestadores de serviços. Os questionamentos foram feitos com base no histórico de transferências de carteira, ocorridas no mercado de saúde suplementar, que geraram reclamações relativas a reduções de redes credenciadas e reajustes diversos dos estabelecidos.