IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Como agenda eleitoral, Bolsonaro lança medidas voltadas a mulheres e jovens

Jair Bolsonaro desembarca de avião ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro - Alan Santos/PR
Jair Bolsonaro desembarca de avião ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro Imagem: Alan Santos/PR

Colaboração para o UOL, em Brasília

04/05/2022 18h13

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), anunciou hoje medida que institui programa voltado à inserção e à manutenção das mulheres e jovens no mercado de trabalho. Em evento realizado no Palácio do Planalto, o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, disse que a gestão atual foi responsável por entregar "as maiores políticas" voltadas sobretudo a vítimas de violência doméstica.

"É preciso investir na capacitação das mulheres para que elas possam lutar em pé de igualdade com os homens no mercado de trabalho", afirmou o ministro, que reconhece que as medidas podem render frutos eleitorais a Bolsonaro.

As medidas fazem parte de uma série de projetos que o governo deve lançar na área trabalhista como arma na tentativa de reeleição. A ideia é aproveitar como gancho as celebrações do Dia do Trabalho, comemorado em 1º de maio. O tema é uma das bandeiras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), principal adversário de Bolsonaro.

"O novo programa cria uma série de medidas para impulsionar as boas práticas na promoção da empregabilidade das mulheres, como a flexibilização do regime de trabalho, a qualificação em áreas estratégicas para ascensão profissional e apoio a mulheres no retorno ao trabalho após a licença maternidade", afirmou a Presidência da República em nota.

Ao grupo feminino, a medida prevê a implementação de várias medidas de apoio à parentalidade na primeira infância. "Será ainda incentivada a flexibilização do regime de trabalho dos pais após o término da licença maternidade, tais como a implantação do regime de tempo parcial e compensação de jornada por meio de banco de horas, além da jornada de 12 horas trabalhadas por 36 horas ininterruptas de descanso, quando a atividade permitir", destaca o governo.

Bolsonaro passa a palavra para deputada

O presidente Jair Bolsonaro abriu sua fala sobre o programa voltado a mulheres contanto uma piada e procedeu para passar a palavra à deputada federal Celina Leão (PP-DF), para que ela explicasse as medidas sancionadas hoje.

"Atenção somente os homens. Quando um homem solteiro está cansado de ser feliz, o que ele faz? Procura uma namorada, se casa com ela e para ser mais feliz ainda", afirmou, voltando o olhar à primeira-dama, Michelle Bolsonaro. "Mas tem uma pessoa melhor que eu para falar sobre as ações em prol da mulher no Parlamento", afirmou.

Celina cumprimentou Michelle, a ex-ministra Damares Alves e as deputadas federais presentes no evento. "Acredito que o Brasil precisa conhecer a história que Bolsonaro está escrevendo por meio das mulheres. Bolsonaro sancionou 66 leis em prol das mulheres no país. O senhor sancionou muitas vezes projetos de deputadas da oposição", afirmou a congressista.

Projeto para jovens

Para os jovens, segundo o governo, o programa busca aumentar as oportunidades de formação e de inclusão produtiva do adolescente e do jovem por meio da aprendizagem profissional. O decreto cria 100 mil vagas no ensino profissionalizante, a fim de contribuir para melhorar a qualificação e a empregabilidade dos jovens, segundo o governo.

"Foram criadas 100 mil novas vagas de aprendiz e foi instituído o Projeto Nacional de Incentivo à Contratação de Aprendizes, por meio do qual as empresas participantes terão benefícios para regularizarem o cumprimento da cota de aprendizagem, com uma estimativa de contratação de 250 mil adolescentes e jovens ainda este ano", anunciou.