PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Proposta por Bolsonaro, CPI da Petrobras ganha apoio da oposição ao governo

O presidente Jair Bolsonaro (PL) - Adriano Machado/Reuters
O presidente Jair Bolsonaro (PL) Imagem: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

17/06/2022 18h34Atualizada em 17/06/2022 19h28

A proposta do presidente Jair Bolsonaro (PL) para a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a Petrobras, seus diretores e membros do Conselho, ganhou apoio entre políticos da oposição ao governo.

A ideia de Bolsonaro a líderes partidários foi anunciada hoje, logo após a estatal anunciar novos aumentos nos preços dos combustíveis. O mandatário declarou que já conversou com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para efetivar a iniciativa no Congresso Nacional.

"Nossa ideia é propor uma CPI para investigar a Petrobras, seus diretores e os membros do Conselho. Queremos saber se tem algo errado nessa conduta deles, porque não é possível se conceder um reajuste com o combustível lá em cima e com os lucros exorbitantes", disse Bolsonaro em entrevista à Rádio 96 FM de Natal.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no Senado, apoiou a ideia da abertura de uma CPI. Randolfe foi o vice-presidente da CPI da Covid, realizada no ano passado, que indiciou 78 pessoas, entre elas Bolsonaro, e duas empresas.

Jean Paul Prates (PT-RN), senador e líder da minoria do Senado, apontou que o país está "uma confusão total" em relação aos combustíveis e que caso Lira não proponha a pauta na Câmara, os parlamentares farão isso.

O senador Alessandro Vieira (PSDB-SE) confirmou a participação dele em caso de uma possível nova CPI no Congresso Nacional.

Já a deputada federal bolsonarista Bia Kicis (PL-DF) divulgou a proposta do aliado no Twitter.

Em entrevista à CNN Brasil, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), disse que a CPI da Petrobras seria para avaliar "a conduta da sua diretoria e do seu conselho, qual a motivação por trás dessas deliberações". Para o governista é "preciso investigar quais motivos levam esses dirigentes a tomar essas decisões sem considerar o impacto que isso tem na sociedade como um todo, e tendo lucros muito acima das empresas do setor".

Críticas

Apesar do apoio de alguns parlamentares de oposição, outros políticos contrários ao atual governo também criticaram a sugestão de Bolsonaro.

O deputado federal Marcelo Ramos (PSD-AM), ex-vice-presidente da Câmara, criticou a sequência de ações do governo, incluindo a proposta de CPI, que não levaram à redução do valor final na bomba dos postos de combustíveis.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), também condenou a sugestão do presidente.

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) pediu o impeachment de Bolsonaro e relembrou a nomeação que o mandatário fez para a diretoria da estatal.