PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

EUA: Em home office, mulher é demitida após descobrir que empresa a vigiava

Michae Jay publicou diversos vídeos no TikTok contando que a empresa para a qual trabalhava a espionava em segredo - Reprodução/TikTok
Michae Jay publicou diversos vídeos no TikTok contando que a empresa para a qual trabalhava a espionava em segredo Imagem: Reprodução/TikTok

Colaboração para o UOL

20/07/2022 16h30

Uma mulher norte-americana descobriu da pior forma como eram os métodos da empresa para a qual trabalhava remotamente de casa, nos Estados Unidos. Ela não sabia, mas a empresa ligava a câmera de seu laptop, tirando fotos e gravando vídeos.

Leia também: E no Brasil, empresas podem vigiar funcionários e estações de trabalho?

Ela só descobriu a ação quando foi flagrada preparando um lanche na cozinha durante horário de trabalho. Ela foi repreendida e, depois que tornou o caso público, acabou demitida.

Em vídeos publicados no TikTok, com mais de meio milhão de visualizações, Michae Jay revelou que a empresa para a qual ela trabalhava a espionava o tempo todo por meio de sua webcam. Além disso, ela conta que descobriu que a empresa bloqueava o acesso de seu computador à plataforma de trabalho se ela se afastasse por alguns minutos do teclado.

Nos vídeos postados em sua conta, a mulher mencionou que trabalhava para uma empresa que faz campanhas para a companhia de tecnologia Klarna. A trabalhadora mostra a tela do computador congelada com uma imagem capturada pela própria webcam, onde é vista afastada da mesa do computador, na cozinha.

"Não está na mesa. Ação aplicada. Por favor, obtenha aprovação de seu superior para tentar novamente", diz a mensagem registrada na tela. "Essas pessoas bloquearam meu computador. Bloquearam meu computador porque eu estava na cozinha preparando um lanche. Eles querem que só trabalhemos [enquanto estamos] em casa", reclamou Michae.

@michaejay22 #wfh #PrimeDayDreamDeals ? original sound - MichaeJay

Em um segundo vídeo, ela menciona que a empresa não permitiria que ela desligasse sua webcam, que eles [a empresa] usavam para "monitorá-la e tirar fotos dela ao longo do dia". Além disso, ela alegou que seu computador era bloqueado se ela fosse vista se levantando de seu assento, usando seu smartphone ou se uma pessoa simplesmente entrasse na sala.

@michaejay22 Replying to @divina0722 ? original sound - MichaeJay

A mulher revelou ao portal Daily Dot que foi demitida de seu trabalho após postar os vídeos em sua conta no TikTok. Ela inicialmente disse que foi demitida por e-mail, pelo setor de recursos humanos, mas que depois foi chamada para uma reunião online. Em 15 de julho, Michae confirmou ter sido demitida.

Em vídeos subsequentes, a jovem criticou outros aspectos da empresa em que trabalhava. Ele afirma que não foi avisada, quando aceitou o emprego, que seu salário dependeria do número de horas que ela trabalhava por semana e que os gerentes muitas vezes tentavam argumentar que os funcionários costumavam trabalhar menos horas do que realmente diziam.

Ela também reclamou da linguagem pouco profissional supostamente utilizada pelos gestores e alega que a empresa apresenta alto índice de rotatividade pelos motivos apontados.

@michaejay22 Replying to @sugaladyy ? original sound - MichaeJay

Depois que essa série de vídeos se popularizou, centenas de usuários deixaram comentários para expressar desgosto por suas empresas, pela vigilância de funcionários e ambientes tóxicos de teletrabalho, gerando muita polêmica.

"Esse nível de microgestão vai mantê-los com alta rotatividade", comentou um usuário. "Menina! É hora de ir", disse outro. E um terceiro ainda deu a dica: "Você deve sempre cobrir sua câmera".

Ao ser questionada por um seguidor se ela manipulava informações pessoais dos clientes da empresa, como forma de justificar a vigilância excessiva sobre os funcionários, ela respondeu que não lidava com dados confidenciais, como números de previdência social e outras informações que requeressem um grau justificado de sigilo.